domingo, 31 de outubro de 2010

NAMORO A DISTANCIA VALE A PENA?!


Entao, caros leitores, hoje estou um pouco passional... Por isso vou deixar de escrever "Putaria" (no melhor significado da palavra). e escrever algo relacionado a namoro,paixao! SO POR HOJE! 



Chega um dia na vida da gente que precisamos encarar algumas coisas de frente. A distância da pessoa amada é, sem dúvidas, um dos piores cenários que podemos imaginar para nossas vidas amorosas. Você fica cheio de dúvidas, não sabe se isso vai ou não vai funcionar, você precisa se adaptar a algumas mudanças drásticas e sempre vai rolar aquela insegurança. Afinal de contas, relacionamentos a distância valem mesmo a pena? É uma boa apostar neles? Obviamente, a única pessoa que pode responder se vale a pena ou não investir nisso é você. Porque, a principio, e isso eu posso garantir, essa não é uma das coisas mais fáceis que podemos encarar em nossas vidas.  
Felizmente, hoje em dia um dos piores problemas para quem se relaciona a distância está parcialmente resolvido – a comunicação – e você pode ter contato diariamente a custo quase zero. A internet é uma mão na roda para quem esta longe fisicamente mas quer manter contato o máximo de tempo possível. MSN, Orkut, Fotolog e outros sites ajudam bastante nessas horas. A ansiedade, que muitas vezes atrapalha, pode até ajudar nessas horas. O negócio aqui é organizar umas dicas para que você se dê bem, então vamos a algumas delas:

Não deixe o ciúme atrapalhar. Nunca!

Tudo o que você e seu parceiro menos precisam nessas horas é motivos para brigar. Por mais que pareça estranho, não existe realmente a necessidade de você querer controlar todos os passos do parceiro, e de vez em quando você vai ter que ser flexível o bastante para entender uma ida ao barzinho com os amigos. A primeira coisa que deve haver num relacionamento a distância é a confiança, e deixar seu parceiro ir passar chateado ou com raiva de você pode ser um estopim perigoso. Evite brigas bobas e ciúmes excessivos, confie mais no parceiro e sua relação vai ser preservada.


Aproveite a distância para conversar. Sobre TUDO!

Como basicamente o que sobra pra vocês é o contato virtual, aproveite para conversar sobre tudo com seu parceiro. Bolem algum tipo de brincadeira onde um faz uma pergunta sobre qualquer coisa e o outro responde de forma sincera, trocando após a resposta. Se o relacionamento é sério e nenhum dos dois tem nada a esconder, esse tempo de conversa “obrigatório” servirá para mais que apenas falar qualquer coisa e ficar com mais saudade ainda. Ocupar a mente descobrindo novidades é um dos melhores remédios para a distância.

Medo da traição. E agora?!

Igual eu disse, a maior base do relacionamento a distância é a confiança. A traição pode acontecer tanto para quem mora junto quanto para quem mora distante, não há como evitar em muitos casos. Porém, a confiança é a chave, e se ambos estão mesmo juntos nessa, esse é um medo que você pode excluir da sua mente. Sempre é mais difícil confiar as cegas, mas pense comigo: alguém sustentaria uma relação a distância se não gostasse de verdade da pessoa? Eu acho que não.

Aprenda a lidar com o momento da despedida

Definitivamente, o pior momento na vida de dois namorados é a hora da despedida. Saber que pode demorar um pouco para poder reencontrar é um teste cardíaco dos grandes. Porém, é um mal necessário, já que a vida segue e você precisa voltar as suas atividades normais. Não torne a despedida um ato ruim, tente encarar melhor isso. Por mais difícil que seja, na próxima vez que vocês dois se reencontrarem todo aquele amor e saudades acumulados farão com que vocês dois curtam ao máximo cada segundo juntos. Lembre que, por maior que seja a distância, para o amor não existem fronteiras. O tempo vai se encarregar de juntar vocês dois assim que possível, é sempre importante lembrar isso.


O amor supera tudo!

É nisso que você tem que focar. Todo relacionamento tem momentos de adversidade e o importante é lembrar do que os une. O amor entre vocês é maior que a distância que os separa, certamente, e contra isso não tem argumento nenhum que possa desabonar o relacionamento

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

MULHER X MULHER

Quando o assunto é sexo, não é difícil ouvir que "entre quatro paredes vale tudo". Há quem goste do sexo mais selvagem, outros de preliminares caprichadas e também existem as mulheres que preferem transar com outras mulheres. E elas garantem que a transa é muito mais prazerosa do que com um homem.


Não são apenas as anônimas que afirmam que o sexo com outra mulher é mais gostoso. A atriz Angelina Jolie, por exemplo, casada com o ator Brad Pitt, é bissexual assumida e já afirmou que prefere fazer cenas de sexo com mulheres porque em um minuto estão se agarrando e, em outro, discutindo sobre promoções e o que vai ficar melhor para sair à noite.

Na opinião da técnica de enfermagem Lya Pinho*, 29 anos, que há dois anos mantém uma relação estável com outra mulher, este tipo de transa é muito mais gostosa porque uma mulher conhece a outra, sabe como e onde tocar, além da sensação que cada toque proporciona.

Engana-se quem pensa que toda homossexual se comporta como homem. Segundo a empresária Mariana*, 26 anos, pode acontecer ou não de uma mulher exercer um papel masculino na relação.

"Pode ser que uma mulher tenha um jeito mais masculino de se comportar na cama, mas também pode acontecer de duas mulheres super femininas transarem", afirma Mariana. "Com relação à penetração, não é preciso um pênis de verdade, já que existem muitos 'apetrechos' utilizados para isso, além de diversas partes do corpo, a exemplo dos dedos", acrescenta.

A jornalista Gisela*, 23 anos, acredita que a penetração é o ápice do sexo heterossexual e não entre duas mulheres. "Entre mulheres, o que vale mesmo é a criatividade. A penetração pode ocorrer de formas variadas, como também pode simplesmente ser eliminada. Isso varia muito de casal para casal, de mulher para mulher. Muitas mulheres se satisfazem realizando apenas aquilo que, no sexo heterossexual, não passariam de preliminares", diz.

De acordo com a estudante Valkiria*, 21 anos, que namora há 1 ano com uma mulher, uma das maiores vantagens de fazer sexo com uma parceira é ter um relacionamento com mais carinho e compreensão. "Além disso, o orgasmo é muito mais sincero e a transa é muito mais suave, sem contar que são duas esculturas sexuais em cena, o que acho que também desperta o desejo de muitos homens", brinca.


Veja 10 vantagens do sexo entre duas mulheres na opinião delas:


1. Um bom sexo oral
2. Mais carinho e compreensão na hora da transa
3. Orgasmos menos forçados
4. Mais criatividade, já que a penetração não é o ápice do sexo
5. Não ter preocupação com gravidez indesejada
6. Saber onde e como tocar
7. Poder ter as mesmas sensações e se colocar no lugar da parceira
8. Entender muito melhor as necessidades e desejos da outra
9. Mais facilidade em detectar fingimentos, já que as reações do corpo são parecidas
10. Não ter medo de novas experiências

* Nomes fictícios a pedido das entrevistadas
  Redação Terra

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

De 4 , SERA QUE ELAS GOSTAM?!

Mito para as mulheres e a preferida dos homens, doggy style, no belo e bom português, nada mais é do que a posição cachorrinho. Alguns “especialistas” garantem que essa é uma das posições mais prazerosas para ambos.
Repare: a cada 10 filmes eróticos, em 10 essa prática é executada. Não que isso seja uma referência válida, mas mostra como a posição é popular.

A velha e boa sensação de entrega

Também conhecida como “ficar de quatro”, esta posição revela uma submissão feminina, que não deve ser interpretada como uma carta branca para apenas acontecer a penetração. Ela compreende uma série de vantagens que poucas posições oferecem: a facilidade para o homem estimular o clitóris, o ânus e seios da garota, a variedade de movimentos possíveis, a possibilidade de que a mulher estimule os testículos do homem e a facilidade para alternar sexo anal e vaginal. Digamos que é uma posição completa, desde que bem aproveitada pelo casal.

Lembro de uma vez que estava transando na cozinha da casa da minha amiga e o cara me deitou na pia. Não tive tempo de falar nada, ele simplesmente dominou a situação, colocou as minhas mãos pra trás e me deixou sem ação. Nessa hora, minha amiga, você não tem o que fazer. Se o cara é bom, é bom. Nunca me esqueci dessa transa. Ele simplesmente alternou para o sexo anal e fez de mim a mulher mais bem comida daquele dia.
Por outro lado, tenho centenas de amigas que odeiam dar de quatro e centenas de amigos que tem a lesa ideia que toda mulher ama essa posição. É fato, algumas mulheres não se sentem à vontade. Isso acontece, normalmente, porque a penetração é muito mais profunda. O pênis pode tocar o colo do útero e, em alguns casos, provocar dor.


Devo confessar que esta é a minha posição preferida, seja pela condição, pelo jeito, pela liberdade. Afinal, que mulher não adora ver o seu parceiro com aquela pegada firme, mostrando que só com um puxão na cintura nos arranca gemidos? É claro que o homem precisa, de certa maneira, ser cauteloso, sempre utilizando-se da intensidade conforme o gosto da parceira. Tudo tem seu jeito, seu tempo. É nessa hora que o homem prova se tem ou não a tal pegada nervosa.
Para o homem, tudo fica mais fácil né? A gente vai, arrebita o rabo e só espera a dominação do macho. Sim, instinto pré-histórico.  Basta ao homem saber a maneira mais agradável para agarrar o quadril, controlar os movimentos, puxar o cabelo e, sim, dar uns tapas bem dados, por favor!


Como o homem fica com todo o trabalho, a mulher pode ajudar no ritmo, mas principalmente se concentrar melhor no que está fazendo. Acredite, toda mulher tem uma imaginação extremamente fértil quando está transando. Se é adepta do sexo anal, então, a posição é muito mais do que recomendada – mas comece com ela deitada de pernas fechadas, não de quatro, pois o risco de doer é menor. Enquanto o parceiro manda brasa, suas mãos ficam livres para mandar ver com os dedos e sentir o saco escrotal batendo no clitóris. Delicia!
Essa é uma posição confortável para alcançar os testículos do companheiro, modificar o movimento com o quadril (sem alterar o ritmo) e, é claro, se tiver um espelho na frente, ter uma visão legal para ambos. Além disso, a posição permite ao pênis ficar pressionado entre os glúteos, o que pode ser muito excitante para o homem.
Diz o Kama Sutra: “no ardor da cópula, um casal fica cego de paixão e prossegue com grande impetuosidade, sem prestar a menor atenção a excessos”.
Agora um aviso para as mulheres: dar de quatro auxilia na dissipação das células de gordura que se acumulam na bunda, ou seja, é como se você fosse fazer uma drenagem linfática – em proporções pequenas, claro, mas já ajuda.
No mais, não existe uma posição mais eficaz para o prazer, todas podem. Se não está divertido de um jeito, vira, mexe e remexe. Tudo é válido desde que dê o máximo de prazer aos envolvidos. No final, isso é o que importa.


Texto de 

Vanessa Gonçalves

terça-feira, 26 de outubro de 2010

SEXO VIRTUAL É TRAIÇÃO?

Imagine um dia encontrar no computador um histórico de conversas de seu parceiro (a) com outra (o) mulher/homem via internet! Imagine agora, se essas conversas não forem “simples conversas”, ou seja, forem conversas com conteúdos eróticos!
Praticada por homens e mulheres, e ao contrário do que se possa pensar, mais por mulheres; a rede da internet tornou-se uma porta aberta para a infidelidade, e tem causado muita polêmica e discussão em torno do tema: SEXO VIRTUAL É TRAIÇÃO?
Não há uma regra para reger todos os relacionamentos, muito menos, um consenso que defina de maneira conclusiva o que seja “traição”. De maneira geral, ainda prevalece o consenso de que o contato físico é sentido como a maior prova de falta de amor do outro.
Esse é um tema delicado e controverso. Para muitos, o sexo virtual é um conceito individual que possui suas regras, e teclar com outras pessoas, que não seus parceiros, não caracteriza necessariamente uma traição.
Pesquisas recentes feitas com mulheres demonstraram que 58% delas consideram a pratica do sexo pela internet uma traição. 21% tiveram opinião diferente e disseram que não é traição e outras 21%, não se posicionaram nem a favor ou contra.
A pesquisa também demonstrou que as mulheres que se posicionaram a favor, afirmam que a prática é benéfica para os relacionamentos reais. Já dentre as que se posicionaram contra, observou-se que essas mulheres tiveram uma formação cultural e religiosa mais rígida e possuem um conceito de monogamia mais presente.
Para alguns psicólogos, sexo virtual “pode” ser sinal de que há algo errado dentro do relacionamento a dois quer seja afetivamente ou sexualmente.
Porém, nem sempre devemos encarar sexo virtual como traição. Tanto quanto a masturbação onde se utiliza a imaginação ou revistas pornô-eróticas, o sexo virtual também pode ser um caminho para erotização, para uma forma de aquisição de novas informações e conhecimentos, portanto,  nem sempre, é um sinal que o relacionamento não vai bem, podendo até melhorar ainda mais a performance sexual e afetiva do casal.
É verdade que o progresso tecnológico tem levado ao individualismo, e provocado cada vez mais o distanciamento social e físico das pessoas. É verdade também, que muitas vezes a solidão, a falta de diálogo, a falta de amigos e dificuldades nos relacionamentos tem aproximado as pessoas via internet, e aumentado a possibilidade de relacionamentos interpessoais como forma de suprir as ausências afetivas e emocionais.
Porém, qual o limite dessa prática?
Pois bem, a linha entre a busca do prazer sem conseqüências e a possibilidade de uma traição real é muito tênue, e nem sempre se consegue ter o controle sobre a situação.
O “anonimato” encanta; O “mistério”, a “fantasia” dá um toque especial á imaginação; A “sedução” e a “conquista” reforçam a auto-estima.
Uma boa e simples conversa pode levar as pessoas a visualizarem a possibilidade de suprir carências até então consideradas “normais” para qualquer pessoa. Não é incomum sabermos que pessoas iniciam conversas em chats na internet e após compartilhar sua privacidade acabam criando certa intimidade.
É exatamente nesse momento que os nicknames (apelidos) deixam de ser utilizados anonimamente e passam dar lugar aos nomes reais. Pequenas mentiras passam por uma revisão e tornam-se informações reais,   e da sala de bate papo para o MSN particular, torna-se um passo muito curto e desejado. E-mails passam a ser comuns. Números de telefones são trocados. Torpedos ( mensagens de texto via celular) são enviados intensamente. Se gasta horas a fio, atrás da telinha do computador, e, finalmente, a fantasia torna-se realidade.
O sexo virtual, que até então não passava de uma brincadeira sem conseqüências, torna-se um relacionamento virtual com requintes eróticos e não incomum torna-se uma traição real, advinda do meio virtual.

Fonte: Psicnet


E PRA VOCE,   SEXO VIRTUAL É TRAIÇÃO?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

CONTO EROTICO: Sexo virtual

 Olaa pessoal, o nome da personagem de meus contos foi decidida, O nome: SARA.

SEXO VIRTUAL...

Sara estava naqueles dias,onde tinha que comprovar sua sensualida e poder de conquista sobre os homens!
 Em casa, sem fazer nada resolveu navegar na net. Foi direto a uma sala de bate-papo de sua cidade.
La haviam muitos homens querendo e desejando falar com ela.Mais um chamou a sua atencao.
Era um com o nick MISTERIOSO,entao ela resolveu ver oque ele tinha a oferecer. Sara adorava esse jogo de seducao, e de misterio. Preferia os
caras mais timidos, do que os atrevidos!
 O MISTERIOSO, comecou a teclar com ela, sempre com ar  de misterio.Sempre com charadas, e joguinhos de seducao. Ela gamou!
Foram para o MSN, onde seria mais reservada a conversa!
Ele(o MISTERIOSO),nao tinha foto , mas resolveu ligar a web cam,para mostrar como ele era. Sara se derreteu toda,ao ver como ele era lindo...
Sorriso encantador,muito lindo mesmo,parecendo um garotinho, e isso a Aticou mais e mais...
Nao demorou muito e a conversa foi ficando quente,ele pedia fotos sensuais de Sara, e ela enviava, talvez pra ele sentir um pouco dela  perto dele tambem.
  O calor em seu corpo foi aumentando, o tesao por aquele desconhecido lindo transbordava por seus dedos, e eles ali separados pelo computador.
Eles resolveram fazer sexo,virtual,porem sexo maais carnal que podiam fazer naquela hora!

-Felipe,quero ver voce delirar, como se eu estivesse ai. (Felipe,o nome dele, que ela descobrira a pouco tempo)

Por sua vez, ele comecou a se tocar em plena web cam,Sara foi ao delirio, em ver aquele Deus grego se derretendo por ela.
Ela nao ficou por baixo e tambem se tocou, e muito.Se arrepiando, como se oque ele escrevia,estivesse sendo dito ali, ao pe do ouvido!
A umidade tomou conta de todo seu corpo.E ela gozou,ao ver o Felipe gozando,sendo submisso ao seu prazer, sem ao menos ela o tocar!

Ufaa... E o desejo nao acabou ali. Na verdade aumentou mais e mais. Decidiram se encontrar um dia,pois ele nao mora na mesma cidade que ela.

Ela por sua vez,desligou o pc e foi pra cama.Naquela noite Sara dormiu com Felipe.Em pensamento,em toques e gemidos!




Por : Renata Ferreira

Vamos falar de ''ORGASMO FEMININO'' ?

O orgasmo feminino pode ser produzido pela estimulação clitoriana ou vaginal, ou por uma combinação de ambas.  Essa estimulação pode se dar por masturbação, sexo oral, sexo com penetração vaginal, sexo anal, pelo uso de vibradores ou consolos.
O orgasmo feminino NÃO é igual ao do homem. As mulheres podem gozar pela estimulação apenas do clitóris, pela estimulação da vagina (mais raro), pela estimulação de ambos e pela estimulação anal. Geralmente, após orgasmo, uma mulher pode gozar novamente, se for devidamente estimulada e se ela estiver com desejo. Ao contrário dos homens que precisam de um certo tempo para se recuperarem.
 
TODAS as MULHERES GOZAM da MESMA FORMA?
Não. Embora os estudiosos da fisiologia da resposta sexual feminina descrevam, funcionalmente, alguns fenômenos comuns ao orgasmo feminino, não há um padrão único para que ele ocorra. Quero dizer que, embora hajam reações e sensações biológicas, orgânicas, corporais ... comuns a todas as mulheres, é possível verificarmos peculiaridades e características próprias do orgasmo se expressar, em cada uma de nós.
Além desse aspecto pessoal, os momentos e circunstâncias que experimentamos na vida, também são determinantes. O conhecimento sexual pessoal é adquirido ao longo de nossa vida sexual. A expressão prática da nossa sexualidade, ao longo da vida, pode variar e mudar, dependendo do nível de maturidade frente ao sexo, do tipo de estímulo proporcionado pelo nosso parceiro , dos níveis de erotização e desejo vividos, do conhecimento e controle dos mecanismos subjetivos da sexualidade (nossas fantasias, por exemplo), da capacidade de entrega aos prazeres do sexo, do desapego aos mecanismos repressores aprendidos pela educação, dos níveis de saúde e bem estar corporal, etc.
Não é possível descrever o orgasmo feminino como um fenômeno único. Cada mulher pode reagir e expressar comportamento próprio:
-         tem garotas que tremem
-         algumas contraem toda musculatura do corpo
-         outras, dão "pulinhos" ritmados
-         há mulheres que tem uma única sensação
-         outras podem ter várias e seqüenciais descargas elétricas
-         tem garotas que riem ... outras choram
Somente a mulher pode dizer e descrever seu orgasmo! 


"A mulher pode se masturbar sozinha, mas também pode usar o método durante as relações sexuais"

sábado, 23 de outubro de 2010

CONTO EROTICO: A descoberta de uma safada!

Ola pessoal, venho aqui postar alguns contos de minha autoria, queria a ajuda de vcs pra me ajudar a 
escolher um nome pra minha personagem. Por enquanto vou chama-la de PIMENTINHA... Mas queria 
sugestões de voces , pra um nome em que eu possa chama-la! (OPINEM NOS COMENTARIOS).





Numa tarde de sabado o telefone toca, era a Bruna a convidando PIMENTINHA para sair a noite. Como de costume, ela aceitou ja que sua amiga sempre tinha os melhores programas!

As 19:00 come
çara a se cuidar, tomou um banho demorado, se enrolou na toalha e foi se trocar. Em seu quarto pegou o hidratante corporal que mais gostava, o que tinha cheiro de frutas vermelhas e passou cautelosamente por todo seu corpo, primeiro pernas, bumbum, barriga e subindo, subindo...

Pegou o vestido mais curto e decotado que havia no guarda-roupa! Nao sabia o porque,mas queria arrasar naquela noite!
Chega Bruna, e em seu carro ela nao esta so,tem mais 3 amigas! PIMENTINHA entra e cumprimenta a todas. Eram lindas, uma loira corpo de violao, com uma blusa tomara q caia, deixando a mostra seu bronze.As outras eram morenas,cabelos longos pretos, porem uma beem magrinha, ja a outra um corpo esculpido!
Chegando na festa, fizeram sucesso, todos os olhares eram pra elas, muita mulher bonita juntas da nisso!
PIMENTINHA sempre recatada, gostava dos olhares,mas era timida! Ate chegar um cara,muito bonito, alto,moreno e de olhos verdes.

- Ola. Disse ele,numa voz grossa.
- Ola.
- O que uma mulher t
ão linda faz sozinha aqui?
- Nao estou so. minhas amigas estao dancando. Disse ela ,timida ainda.
- Vamos tomar algum drink?
- Uma boa ideia. Disse ela.


Ele pegou um drink. PIMENTINHA bebia rapidamente. Sinal de que estava empolgada com ele por perto!
Terceiro drink. Ele ja animadinho, pois PIMENTINHA ja estava dan
çando solta,e desinibida!
Bruna ja estava a procura de sua amiga timida e recatada! Mas nao foi essa que ela encontrou! La estava PIMENTINHA , dan
çando e se agarrando com o bonitao.
Chegaram todas e ficaram admirando ELA, a outra PIMENTINHA! Todas ja estavam acompanhadas!  E uma delas com o dono da casa... TIVERAM UMA IDEIA!

A convidaram a uma festinha particular no quarto principal da casa. Todos os 4 casais subiram ao quarto, e PIMENTINHA nao ficou intimidada e foi!
ELA encontrou todos quase seminus, e se excitou ao ver aquela cena. O bonitao que estava com ela, a empurrou na parede, e lhe beijou de um jeito voraz.
a segurou pelo cabelo e fez com que PIMENTINHA se arrepiasse toda!
Quando olha pro lado, um casal ja estava sem roupa, na cama, naquele movimento lento e forte ao mesmo tempo. ELA ficou com tes
ão, e arrancou a roupa de seu parceiro.
Mordeu seus labios,lambeu sua barriga e desceu ate seu P* e fez um oral maravilhoso,lambia o P* ,lambia o saco e descia a m
ão ate a bunda dele...

- N
ão para safada!
- Ta gostoso ? quer que eu enfie o dedo cachorro?
- Vaii, que maravilha... Aaah, vou gozar!
- Vagabunda!!


E depois de saciar seu parceiro, ela resolveu ir para outro, o que estava com Bruna.
- Quer vir amiga?  Disse Bruna.
- Quero!


E la vai PIMENTINHA beijando o parceiro de Bruna. PIMENTINHA virou pra tras e viu Bruna so olhando, a convidou para chupa-lo tambem!
As duas chuparam gostoso ele, e uma lingua rocou na outra, ati
çando o desejo delas!

Comecaram a se beijar, e tocar o corpo uma da outra. PIMENTINHA desceu ate a BCT de Bruna, e lambeu gostoso. Brincou com o clitoris dela, e fez Bruna gozar em sua boca.

As duas ficaram de quatro,e pediram pro parceiro meter nas duas. Aquela visao maravilhosa fez latejar o P* dele!

E meteu forte nelas, enquanto batia na bunda forte e puxava os cabelos...

Cansaram de tanto prazer e tes
ão. La pras 4:00 da manha, ja estavam todos na cama,sofa e chão do quarto. Cansados e saciados rade tanto prazer!

PIMENTINHA saiu escondida,pegou um taxi e foi pra casa. Feliz por ter descoberto a PIMENTINHA que nao conhecia. Tomou banho e foi dormir.

Amanha e outro dia!

 


Por: Renata Ferreira

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

CONTO EROTICO : Existem coisas que só dão prazer de verdade quando são proibidas.

cSeis horas da tarde de uma sexta feira pachorrenta, Arnaldo estava em seu escritório, olhando a foto de sua mulher no porta-retrato, o telefone toca. Do outro lado da linha era Irineu, amigo de longa data, um porra louca, inconseqüente e farrista.
- Arnaldo, preciso de um favor seu.
- Fala Irineu, o que é que manda.
- Preciso do seu carro emprestado, o meu está na oficina e hoje eu preciso levar uns corpinhos para uma festa.
- Pô Irineu, não vai dar. Minha mulher viajou com o carro dela e eu ficarei a pé.
- Sem crise, vamos juntos na festinha. É batata! Sigilo absoluto, só gente a fim de bandidagem, casadas, casados, safadas e safados.
A conversa que se seguiu foi de uma canalhice abjeta. Arnaldo foi persuadido a ir à festa. Não oferecera resistência, estava curioso. Preparou-se com esmero, perfumou todo o seu corpo, besuntou-se de hidratante corporal, colocou uma camisinha no bolso. Levou apenas um preservativo, pois não pretendia usá-lo, o teria consigo por precaução. 

Arnaldo sempre fora fiel à sua mulher, porém tinha desejos por outras mulheres. O homem só é fiel por medo ou incompetência. Arnaldo era um medroso. Não que sua esposa não lhe satisfizesse, muito pelo contrário, era uma mulher belíssima, carnuda, lasciva. Era loira de pele bronzeada, olhos verdes e grandes, boca grande, lábios polpudos como dois pedaços de manga rosa, seios fartos e firmes, barriga lisa e sarada, coxas grossas e nádegas arrebitadas, um traseiro avantajado emoldurado por uma cintura fina. Uma mulher voluptuosa. Chamava-se Vanessa.

Vanessa era tida como uma mulher séria, entretanto notava-se o fogo a brotar dos poros. Pele quente, sangue fervendo. Arnaldo sentia um desejo imenso por sua mulher, ela era sua companheira, sua cúmplice em todas as horas e, principalmente, sua amante. O casal fazia de tudo sob os lençóis, mesmo depois de anos casados tinham arranques de desejo que duravam noites inteiras em ruidosas conjunções carnais. Para Arnaldo, Vanessa era a mulher perfeita.

Todavia, Arnaldo era homem e nós homens em algum momento da vida, ou em vários deles, precisamos provar outra carne, outro sugo, outra fêmea. Um homem que disser nunca ter desejado a mulher alheia é um mentiroso ou um pederasta. O sujeito quando adentra a casa dos quarenta ou se aproxima dela sente-se no afã de conquistar mulheres jovens e frescas. Arnaldo tinha ganas de possuir as estagiárias do local onde trabalhava, sentia calores quando as via em suas calças justas que delineavam suas coxas roliças querendo estourar as costuras. Arrepiava-se ao olhar os decotes generosos que desnudavam a pele alva e macia daquelas moças cheirosas e belas. 

Seguindo as orientações de Irineu, estacionou seu carro nas proximidades de uma praça onde estavam esperando três mulheres. Elas estavam avisadas da manobra e imediatamente embarcaram no veículo. Arnaldo sentiu um arrependimento, e se o vissem com aquelas ordinárias? Agora não adiantavam elucubrações, era fato consumado.
Conversando com elas descobriu que todas eram casadas. Falavam com vulgaridade, como prostitutas, queriam sexo, queriam ser possuídas. Arnaldo travou com aquelas mulheres e elas perceberam isso. No trajeto provocavam Arnaldo e se divertiam, gargalhavam como donas de cabarés. Arnaldo sabia que no local haveria mais algumas mulheres e uns poucos homens, amigos de Irineu. 

Chegando ao local combinado o grupo se encontrou com o restante do pessoal. Era uma casa ampla, a luz era mínima e a música estava alta. As mulheres dançavam em grupos. Arnaldo se interessou pela silueta de uma delas, loira, carnuda, dançava de costas para ele e rebolava. Tomou coragem e abordou a beldade.
- Vanessa?
- Arnaldo? O que você faz aqui?
Em arrepio percorreu sua espinha, sua mulher estava lá, suas pernas bambearam. Sem pensar muito Arnaldo tomou para si o que era seu de direito. Rasgou as roupas de Vanessa, roupas minúsculas que ela não costumava usar. Vanessa não se opôs, parecia estar se divertindo, usava uma calcinha de rendas, vermelha. Arnaldo arrancou aquela calcinha com os dentes e possuiu sua esposa com fúria. O fato de outras pessoas presenciarem o evento o excitava mais ainda. Sentia um prazer enorme, algo que nunca havia sentido nem com Vanessa ou com mulher alguma. Gozou como nunca d’antes havia gozado e disse:
- Quero o divórcio. Vou procurar outra mulher para me casar novamente e quero que seja minha amante.
Existem coisas que só dão prazer de verdade quando são proibidas.

COSPE OU ENGOLE?!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

PRODUTOS EM PROMOCAO!

KIT PRUDENCEKit Completo com 1 Lubrificante intimo 60g prudence Gel Morango, 3 Preservativos Extreme, 3 Preservativos Ultra Sensivel, 1 venda para os olhos e 1 Pluma.

De: 38,00  Por: 30,00 











 BOLINHA TAILANDESA : Bolinhas Tailandesas grande, ao serem introduzidas e manuseadas elas fazem movimentos aleatórios que proporcionam uma agradável e excitante massagem podendo chegar ao orgasmo. 

De: 25,00  Por: 20,00













CALCINHA COMESTIVEL :
O jogo da calcinha que dissolve é uma brincadeira divertida para você fazer com seu companheiro. Você deve vestir a calcinha, pedir para seu amor pegar uma carta e seguirs sua orientação. Um jogo sensual que vai tirar da rotina a sua relação.

De: 28,00  Por: 22,00
VIBRADOR BULLET (CAPSULA) : com controle de velocidade é indicado para estimulação clitoriana, é também um excelente massageador.


    De: 38,00    Por: 30,00















 KIT TIAZINHA: Ideal para "surrar sexualmente" no ato de dominação.

  De: 22,00    Por: 18,00
VELA CORPORAL BEIJAVEL : Ideal para massagens corporais, pois se transforma em um delicioso óleo envolvente. Esta vela é para quem busca aguçar ainda mais os sentidos

De: 25,00   Por: 18,00
 TALCO CORPORAL BEIJAVEL : Um finíssimo talco, que vai ajudar a despertar tato, olfato e paladar!
 O talco é comestível! Com ele você transforma uma divertida e prazerosa brincadeira a dois em uma festa de sensações!
Use e abuse do prazer!
 
De: 27,00  Por: 19,00
 
 
 
 
 

ESPUMA DE BANHO : Aromas sedutores
 
 
De: 16,00   Por: 12,00

CONTO EROTICO : NANI, A DEVASSA!

 Texto para maiores de 18 anos. Contém linguagem com forte apelo sexual explícito.

Nani acordara animada, particularmente mais animada que o normal, naquela manhã. Estava decidida do cardápio a ser degustado durante a noite vindoura.  queria testar seus limites. Possuiria no mínimo dois homens. Queria sentir-se dividida, compartilhada, um latifúndio produtivo sendo expropriado à força. Nani queria uma situação de quase estupro, sentia desejo por isso. Gostava de andar no fio da navalha, de sentir medo, de temer por sua integridade física. Tudo isso deixava Nani excitadíssima.
Diante do espelho grande, que estava instalado na parede do seu quarto, Nani mirava sua silhueta esbelta e bem delineada. Queria ser homem por um momento, e possuir a si mesma, desejava seu próprio corpo e invejava os homens que se cevavam em suas carnes. Tirou sua camisola e ficou nua, toda nua, se tocava e de quatro, com as nádegas à mostra viradas para o espelho, se olhava. Sentia-se uma cadela. Cadela. O fogo do desejo era intenso. Munida de um vibrador Nani saciou-se e estremeceu em gozo. 


A noite caiu e Nani estava bem produzida. Discreta. Uma mulher de bom gosto, refinada. Usava um vestido vermelho, sem muitos adereços, com o comprimento até a metade das coxas. Era um vestido decotado valorizando seus belos seios. Nani estava decidida :rumaria ate uma casa noturna renomada da cidade onde faria suas vítimas.
O taxi estacionou em fila dupla em frente à boate.Nani desembarcou do veículo e atraiu olhares gulosos dos homens ali presentes. Passou pela multidão que enfrentava a fila de entrada sem olhar para ninguém. Olhava firme à frente. Caminhou em direção ao segurança, que barrava a entrada de todos, e em seu ouvido ciciou algumas palavras e sua passagem foi imediatamente liberada. Sempre séria Nani se desvencilhava da multidão. O lugar estava cheio. Estava tocando musica eletrônica, a preferida de Nani. Na pista  dançou, e rebolou, e requebrou, e suou e se esfregou em homens e em mulheres, e finalmente ficou muito excitada. A excitação arrepiava cada pelo do corpo de Nani. queria se lambuzar. Assim como Cleopatra, Nani queria banhar-se em sêmen de escravos Núbios. Na falta destes, Nani usaria algum transeunte presente na festa.


Uma mão firme agarrou o braço de Nani. Era um rapaz jovem, bem apanhado, vestia roupas de grife e sapatos caros, um homem rico. O seguinte diálogo foi travado entre os dois:
- Oi, tudo bem? Prazer, meu nome é Glauco, e o seu?
- Tudo bem. Meu nome é Nani.
- Eu estava te olhando dançar, seu jeito, você é uma mulher belíssima. Que Deus te conserve assim!
- Ah, obrigada! Galanteador você hein! – Aquele galanteio impressionara Nani, sem dúvida estava diante de um homem a ser respeitado por ela.
- Você está sozinha?
- No momento estou com você, conversando. Por enquanto. – E riu com um olhar melífluo.
Aquela tirada de Nani deixou o rapaz desconsertado. Demorou um tempo para ele retomar as investidas.
- Posso te pagar uma bebida?
- Pode. O que você está bebendo?
- ChampanhE. – De fato era mais um desses homens ostentadores, Nani apenas esperava que no mínimo fosse uma garrafa de champanha cara.
- Você não me disse se está sozinho.
- Estou com um amigo, mas não sei onde ele se meteu.
- Tem namorada, é casado?
- Na-não tenho namorada. Nem sou casado. – Essa gaguejada denunciara o meliante. Esse homem tinha o rabo preso.
- Sei. - Na verdade Nani não se importava, queria sexo e havia gostado do rapaz.
- E você? É casada?
- Isso importa?
- Não, na verdade não muito.
- E o seu amigo? Onde está?
- Deve estar por aí, ele brigou com a noiva e saiu comigo.
- Sério? – A palavra noivo interessou Nani. Esse homem estava com a cabeça a prêmio agora. – Vamos procurá-lo. – Emendou Nani logo após beijar a boca de Glauco.
Nani tomou a mão de Glauco e saiu pela boate. Queria que todos o vissem com ela. Se ele tivesse rabo preso estaria ferrado. Entretanto, Glauco parecia orgulhoso ao desfilar com uma beldade daquelas e isso deixava Nani envaidecida. Glauco sabia como agradar uma mulher, por isso Nani iria poupá-lo de um possível castigo. Seria uma pena leve, quase administrativa. Isso significaria que alguém deveria ser açoitado por dois esse alguém seria Rodrigo, o amigo almofadinha de Glauco.
Após uma longa procura Nani e Glauco acham Rodrigo. Analisando-o friamente Nani traça seu perfil. Rapaz mimado, rico, chato e com pênis pequeno. Serve.Nani então faz a proposta para Glauco:
- Vamos sair daqui agora, quero fazer sexo contigo. Leve seu amigo junto.
O trio saiu da boate no carro de Rodrigo, foram direto ao apartamento de Glauco e o que as paredes daquele imóvel viram lhes contarei agora. Nani puxou os dois para si e beijava, lambia, se deixava lamber, gemia. Estava excitadíssima. Abriu a calça dos dois e iniciou um sexo oral, um pouco em cada um e a seguir os dois juntos em sua boca. Estava tudo perfeito, não fosse a desproporção entre o tamanho da dupla. Glauco era satisfatório, Rodrigo tinha um pênis da espessura de uma caneta esferográfica. Nani lambia e chupava os dois para satisfazer seu desejo oral. Porém, queria ser penetrada e estava vendo que eles não agüentariam muito assim. Ordenou que Glauco a penetrasse de quatro. Enquanto Glauco a penetrava, Nani chupava Rodrigo e dizia “Não goza! Quero te ver metendo.” Fez Rodrigo lamber seu ânus e cuspir, em seguida ordenou ser penetrada. Rodrigo obedeceu, mas estava a ponto de gozar, então não mexia muito o quadril, o que enfurecia Nani. Então a potranca ordena para Glauco a penetrar na vulva enquanto era penetrada por Rodrigo em seu ânus. Nani gritava e remexia a pelve com força e rapidez, queria gozar. Sentia-se uma cadela no cio e mandava os dois a chamarem de cadela e bater em sua bunda, com força. Gritava que queria mais, queria ser apertada e virava para Rodrigo dizendo: “Não goza seu frouxo, mete forte! Vamos!”Nani se sentia completa e disse:
- Façam o que quiserem comigo, me machuquem, quero sair daqui marcada. – E estava gozando. Como gozava essa Nani. Era daquelas mulheres que gozavam fácil e repetidamente.
Após a ordem de Nani ,Rodrigo gozou e saiu do coito. Isso enfureceu Nani. Ele teria o castigo merecido esse bunda mole. Por um lado estava bem, assim Nani deixaria Glauco mais à vontade para um sexo gostoso e assim se fez. Glauco tomava iniciativa, entendia do riscado, dava ordens à Nani e ela obedecia. Ordenou que Nani ficasse de quatro e meteu com força e ruidosamente, depois a segurou pelos cabelos e gozou na sua cara e nos seus seios. Parecia que adivinhava o que Nani queria. Estava feliz, satisfeita.

Rodrigo parecia perdido e Nani foi até ele.
- Cadê o seu celular? – Rodrigo não respondia.
- Fala! Vamos!
- Esta ali apontando para sua calça jogada no chão.
Nani agarrou o telefone e começou a tirar fotos de Rodrigo nu e de si mesma, atentando para esconder seu rosto. Então ordenou:
- Chupa minha boceta.
Rodrigo obedeceu, mas não agradou.
- Vamos seu molóide, nem isso sabe fazer? – E estapeou o rosto de Rodrigo. Enquanto o fotografava fazendo sexo oral.
- Gostou é? – De pronto pediu que Rodrigo a penetrasse enquanto Glauco fotografava o sexo.
Rodrigo estava adorando. Nani transava com ele e fingia estar gostando, sugeria poses para as fotos. Até que a donzela cansou. Tomou o celular em suas mãos e foi para o banheiro. Trancou-se e de lá enviou as fotos, uma a uma, via fototorpedo, para todos os contatos do aparelho. Um deles seria a noiva de Rodrigo e ele em pouco tempo estaria ferrado. Jogou o telefone no vaso sanitário, vestiu-se e saiu do banheiro. Despediu-se dos rapazes e saiu para a rua, a fim de pegar um taxi.

sábado, 16 de outubro de 2010

Pessoas lindas, como nao estou vendo mais comentarios em meus posts, nunca saberei se estao gostando ou nao!

Por isso entrarei em GREVE DE POSTS!!  rs rs,,, Ate receber comentarios ou sugestoes.

Um beijo... e ate mais

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

PARA OS HOMENS! (MULHERES LEIAM TBM!)

Tem homem que merece ser traido!!


Você homem da atualidade, vem se surpreendendo diuturnamente com o "nível" intelectual, cultural e, principalmente, "liberal" de sua mulher, namorada etc.
As vezes sequer sabe como agir, e lá no fundinho tem aquele medo de ser traído - ou nos termos usuais - "corneado". Saiba de uma coisa...
Esse risco é iminente, a probabilidade disso acontecer é muito grande, e só cabe a você, e a ninguém mais evitar que isso aconteça - ou então - assumir seu "chifre" em alto e bom som. Você deve estar perguntando porque eu gastaria meu precioso tempo falando sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me chamando a atenção já há tempos.
Mas o que seria uma "mulher moderna"? A principio seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde (e nem tem) tempo com/para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o trabalho engrandece, que é independente sentimentalmente dos outros, que é corajosa, companheira, confidente, amante...
É aquela que as vezes tem uma crise súbita de ciúmes mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que está errada e correr pros seus
braços
... É aquela que consegue ao mesmo tempo ser forte e meiga, arrumada e linda... Enfim, a mulher moderna é aquela que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que pensa e o que sente, doa a quem doer... Assim, após um processo "investigatório" junto a essas "mulheres modernas" pude constatar o pior.
VOCÊ SERÁ (OU É???) "corno", ao menos que:
 
- Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura. Antigamente elas choravam. Hoje, elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.
- Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios". Ela tem de saber da sua boca - o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.
- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol...) mais do que duas vezes por semana, três vezes então é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto elas são categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença masculina". Se não for a sua meu amigo...Bem...
- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex bom de cama é grandessíssimo.
- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfaze-la. As "mulheres modernas" têm um pique absurdo com relação ao sexo e, principalmente dos 20 aos 38 anos, elas pensam - e querem - fazer sexo TODOS OS DIAS (pasmem, mas é a pura verdade)... Bom, nem precisa dizer que se não for com você...
- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????
- Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.
- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar do fato de você estar saindo
com outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo ao um "chifre" tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS "comedor" do que você...só que o prato principal, bem...dessa vez é a SUA mulher.
- Sabe aquele bonitão que, você sabe, sairia com a sua mulher a qualquer hora. Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira.
Basta ela, só por um segundo, achar que você merece...Quando você reparar... já foi.
- Tente estar menos "cansado". A "mulher moderna" também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de antigamente - "dar uma", para depois, virar do lado e simplesmente dormir.
- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta dessas isas...senão...
Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência". Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas "mancadas"... proteja-a, ame-a, e, principalmente, faça-a saber disso. Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele `bonitão´ que vive enchendo-a de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!!! 

Por Arnaldo Jabor

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

DEIXE ELE LOUCO COM A: Dança do colo

Saber seduzir nunca é demais, principalmente quando a função é sair da mesmice e botar fogo na relação. Uma boa sugestão é a "Dança do Colo"...  


O figurino: capriche na lingerie, use salto e um vestidinho que atice o seu amor. Deixe os cabelos soltos e faça uma maquiagem simples com gloss e sombra.

 O ambiente: providencie uma cadeira firme e com braços para ele sentar. O ambiente deve ter pouca iluminação. Velas ajudam a criar um clima. Você também pode colocar uma música lenta e sensual para embalar o striptease.

É você quem faz o roteiro:
Essas posições são para a dança, não para o sexo. Mas não existe uma ordem de posições definida: alterne cada uma delas de acordo com a sua criatividade e fique à vontade para tirar ou não a roupa quando você achar conveniente. Na dança do colo, é você quem manda. Seu parceiro fica caladinho e só recebe os seus carinhos. Hora de brilhar!

 

1. Posição básica de provocação

Você fica a pelo menos um metro de distância dele e balança os quadris no ritmo da música. Passe as mãos pelo seu corpo, do jeitinho que ele gostaria de fazer.



2. Garupa

De costas para ele, apoie suas mãos no braço da cadeira ou nas pernas dele. Daí é só se curvar e rebolar muito. Que visão privilegiada!




3. Quero colo

Sente-se no colo dele. Deite a cabeça e ofereça o seu pescoço para ele beijar e lamber. Aí é só rebolar e se esfregar bem devagar. Caso ele tente tocá-la, seja firme e o coloque em seu devido lugar.


4. Aos pés dele

Deite-se no chão de barriga pra cima, aos pés da poltrona. Deixe os pés juntos e as pernas retas. Com sensualidade, empine os seus seios e os seus joelhos para ele ver você de um ângulo bem diferente


5. Posição de gatinho

Você engatinha em direção a ele, olhando firme para os seus olhos. Ande como se fosse atingir o ''alvo'' entre as pernas dele. Quando estiver quase lá, volte e acaricie todo o corpo dele com a sua cabeça, como uma gatinha faceira. O tesão dele vai chegar nas alturas.

Contos eróticos...






Ganhei oral do estranho da praia
 
A publicitária Laura, 34 anos, sabe que sexo sem penetração pode ser o melhor de todos. Com um estranho de sunga verde, então....

''Desde que me mudei para o Rio de Janeiro, meu destino preferido é o Baixo Leblon, point de um rapaz de cabelo negro e rosto quadrado que eu paquerava fazia semanas. Sempre que o encontrava, pedia ajuda para montar o guarda-sol cada vez mais perto do dele.

Já havíamos batido papo algumas vezes e, naquele dia, ele estava especialmente bonito. Parecia que a sunga verde acentuava ainda mais a barriguinha sarada... Na minha mente, só pensava em tirar o biquíni e atacá-lo. Percebendo meu olhar guloso, o gato me convidou para um mergulho. No caminho, agarrou minha cintura e me beijou. Sua língua quente logo saiu da minha boca e percorreu orelha e pescoço.

De repente, me pegou pela mão e voltou para o guarda-sol, juntando rapidamente suas coisas e as minhas. Ainda sem dizer nada, foi me arrastando para o calçadão. Mesmo com medo, segui aquele deus por dois quarteirões até chegar a um prédio luxuoso. Era ali que ele morava. Ao vê-lo apertar o botão do elevador, confesso que quis desistir. Mas o moço, decidido, soltou o laço do meu biquíni ainda no saguão.

Subimos os andares trocando beijos e, assim que entramos na casa, fui conduzida até o quarto e vendada. O coração começou a bater acelerado e de repente senti um arrepio gelado. O lindo estava acariciando minha barriga com um cubo de gelo. Com voz suave, disse para eu sentir o friozinho, a língua dele na minha pele... e atacou meu clitóris. O estranho da sunga verde continuou no ritmo perfeito até sentir minha explosão. Mal sabia seu nome, mas ele me fez chegar ao orgasmo como se fôssemos amantes de outros Carnavais.''





 

Transei para o recreador
 
A fisioterapeuta Mari, 32 anos, soube bem como tirar proveito do sol escaldante. E o namorado estava tão quente quanto o astro rei.

''Namoro o Eduardo há três anos e sempre passamos as férias em Ubatuba, no litoral de São Paulo. Mas, naquele verão, estava disposta a conhecer um destino diferente. Convenci o Du a visitarmos algum resort do Nordeste, para dias de sol e sedução. Lá, conhecemos um recreador conversador, que falou com entusiasmo de uma praia pouco conhecida mas que exigia quase uma hora de bugue só para chegar. Propus que nos levasse no seu dia de folga, cheia de segundas intenções (se é que você me entende!).

No caminho, tirei o vestido e exibi meu microbiquíni novo. Meu homem ficou louco, e nosso acompanhante não pareceu indiferente. Quando finalmente pisamos na areia, fiz questão de estender a esteira perto de uma turma de rapazes e entreguei o protetor solar ao meu namorado. Cada toque me fazia estremecer, enquanto o recreador só nos observava. E, pelo volume dentro da sunga preta dele, não era só meu namorado que estava ficando excitado.

Decidi ignorar os outros banhistas e beijei o Du como se ninguém estivesse nos vendo, só para provocar o outro. Du percebeu onde aquelas carícias iam terminar e me levou ao mar. Enquanto colocava os dedos dentro do meu biquíni, enrosquei meu corpo no dele e soltei a parte de cima, dando show a quem nos observava na areia - principalmente ao nosso guia.

Vergonha? Que nada! Quanto mais olhares curiosos, melhor. O lindo me penetrou aos poucos, tentando disfarçar o vaivém. Mas, quando dei por mim, cavalgava rapidamente, deixando meus seios à mostra. Fizemos sexo trocando beijos safados e com gosto de água salgada. O orgasmo veio logo e ficamos assim, sentindo o balanço das ondas, até nos recompormos, satisfeitos. Saber que havia um terceiro louco para entrar na brincadeira turbinou nosso prazer de um jeito...''



Delirei com meu amigo no caixa eletrônico
 
Tatiana, 30 anos, gosta de emoções fortes. Quando a temperatura sobe, essa produtora de TV não perdoa nem mesmo o melhor amigo.

''Conheci Bruno no primário e somos amigos desde então. No Réveillon do ano passado, passamos a virada na casa de uma amiga em comum. Durante a festa, senti um clima diferente. Bruno estava atencioso demais e o flagrei olhando meu decote. Talvez tanto assanhamento fosse culpa do uísque, mas não nego que estava adorando.

Na hora de ir embora, peguei as chaves do carro dele e, com a desculpa de que estava bêbado demais para dirigir, me ofereci para levá-lo para casa. No caminho, parei no semáforo de uma avenida movimentada e vi um caixa eletrônico. Na hora imaginei a gente transando lá dentro, protegidos pelo vidro fumê. Pelo jeito que ele me olhou a noite toda, tinha certeza de que toparia a aventura. Mas... e se me rejeitasse? Nossa amizade nunca mais seria a mesma.

Espiando o tórax dele pelos botões abertos da camisa, decidi que o risco valia a pena. Tomei coragem e o beijei. Bruno logo retribuiu. Manobrei o carro e parei estrategicamente ao lado do caixa. Passei as mãos nos quadris do bonitão e quase enlouqueci ao sentir seu pênis. Tirei o cinto de segurança e corri para o cubículo. Ele me seguiu. Estava tão doido que nem sabia direito o que estava fazendo.

Assim que fechou a porta de vidro, apoiou meu corpo perto da máquina e colocou as mãos entre minhas pernas. Ajoelhei e abri o zíper dele para caprichar no sexo oral. Mal me livrei da cueca e o gato já me pegou de jeito. Depois de me virar de costas, levantou meu vestido rosa, puxou a calcinha vermelha de lado e me fez ver fogos de artifício. Dez minutos depois, saímos da cabine descabelados, como se nada tivesse acontecido.''