sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Meus amores, desculpem a minha ausência por estes dias. Farei de tudo para voltar com tudo, ok?  !

Venho aqui desejar a vocês um natal sexy, cheio de amor e desejo!



Até semana que vem, beijos

P/ Mulheres : Aumente sua confiança sexual

Mulheres confiantes a gente vê de cara,Elas valorizam tudo que tem,amam o que são,acreditam no seu taco,aceitam imperfeições no corpo,acaba vivendo mais  feliz.
Vamos a dicas,para ver se as coisas melhoram em sua auto-estima.
1) Abuse dos vestidos:
 Não espere uma ocasião especial para se sentir especial. Após os compromissos formais como trabalho e estudos deixe de lado as roupas sérias e ouse mais, troque a tradicional calça jeans por um vestido, para que você se sinta mais feminina.
2) Se vista para você:
Se vista para se sentir bem com você, atraente para si mesmo e não para os outros. Assim a tarefa se torna uma necessidade saudável que melhora a auto-estima. Abuse de cores que valorizam seu tom de pele e de roupas que valorizem sua silhueta
3) Invista em lingerie sexy:
 Poucas coisas fazem a mulher se sentir tão sexy como uma calcinha e um sutiã de renda de suas cores prediletas. Esteja sempre preparada para qualquer surpresa e use lingeries bonitas diariamente.
4) Assuma a responsabilidade por seu próprio prazer: 
Uma mulher confiante desfruta do sexo sem inibições, sabe o que quer e o que fazer para obter o prazer pleno, para isso é preciso que ela assuma a responsabilidade deixando a inibição de lado e se sentindo confortável para mostrar ao parceiro suas necessidades e desejos 
5) Livre-se de tudo que for negativo:
 Se ler revistas femininas te faz se sentir mal, não leia. Se alguns programas de televisão te aborrecem, não veja. Se o seu parceiro faz comentários negativos o tempo todo que te incomodam converse com ele, e se não obtiver resultados parta para outro relacionamento
6) Admire-se diariamente: 
Olhe no espelho todos os dias e repita que você é uma mulher bonita e sensual e que se ama como é, com isso vai conseguir conquistar as mudanças que tanto deseja já que são possíveis e não há limites para o que você pode fazer.
7) Cuide sempre da aparência:
 Cabeleireiros, maquiadores e manicures são os melhores amigos das mulheres. Não adianta recorrer a eles somente quando tiver em uma festa ou a um jantar importante, é preciso estar com tudo em dia: cabelos arrumados, unhas bem feitas, depilação perfeita e uma boa maquiagem.
8) Dê atenção para sua boca: 
Nada demonstra mais confiança que um belo sorriso. Para isso cuide da sua boca com carinho e abuse de sua versatilidade, através dela você consegue demonstrar charme e malícia, nas ocasiões apropriadas, com muita confiança.
9) Crie uma atmosfera romântica em sua casa:
 Mantenha uma boa organização em sua casa para que você não perca tempo com arrumações que poderiam ser evitadas e consiga investir em você. Além disso, mude a decoração, invista em cores quentes ou em um ambiente romântico que seja inspirador.
10) Saiba mais sobre o assunto:
 Existem muitos manuais sobre sexo à venda e que podem ensinar novas técnicas e dicas para melhorar seu prazer sexual, ou leia o blog sempre que puder. Pratique sexo sempre que possível e não tenha medo de experimentar as novidades.

como NÃO fazer um bom sexo oral

Mesmo cientes de toda o poder de um bom boquete, muita gente ainda fica um pouco perdido na hora. Já ouvi relatos de mulheres que olham para o dito cujo e não sabem muito bem como tratá-lo. Outras ficam muito presas à regras e se esquecem da atitude – fator essencial para uma experiência de qualidade. E por isso, trazemos hoje um manual inverso – selecionamos dicas de como NÃO fazer um bom sexo oral, para que você fique esperta caso perceba que tem feito alguns desses itens com frequência:

1. Fique de roupa

Homens são extremamente visuais. Mesmo que vocês não estejam no ápice do sexo, não há visão melhor do que ver um corpo nu e sua dona se empenhando para lhe dar prazer.

2. Deixe o cabelo na frente e tampe toda a visão do paraíso

Mais uma vez, o prazer do homem se multiplica quando ele pode enxergar o que está acontecendo, em vez de somente sentir. Tem mulher que fica envergonhada (provavelmente por causa dos resquícios da época em que sexo oral era considerado algo sujo e impróprio) e quer dar um jeito de se esconder. Algumas apelam para a luz apagada. Outras jogam o cabelo na frente, bloqueando a visão. Mas saiba que nesse caso, além de bloquear a visão, você estará bloqueando uma boa parte do prazer dele.

3. Pegue com mão mole

Lembra a primeira vez que você usou um computador e ficava com receio de clicar nos botões e acabar apagando coisas que não devia? Pois bem, você aprendeu que computador foi feito mesmo para ser explorado e que as coisas não são apagadas do nada. Funciona assim também no sexo oral. Tem mulher que fica com medo de pegar o menino com firmeza e quebrar, entortar, alejar. Acredite – ele não é tão frágil assim. É só pensar na velocidade e força com o qual ele entra em você, que seus medos vão desaparecer automaticamente.

4. Tenha pressa para terminar logo

A pressa é inimiga da perfeição, nossos avós já diziam. Um boquete feito com pressa perde metade da graça. Um dos maiores prazeres do homem é perceber que a mulher está curtindo o processo, em vez de somente querer “matar o job.”

5. Encoste bastante seus dentes nele


Sabe aquela aflição que dá com barulho de giz raspando na lousa, colher raspando na panela, algodão com acetona na unha? Então. Os homens sentem algo parecido quando você raspa seus dentes nele durante o processo. Todos os homens são muito preocupados (até demais) com seu instrumento e com o que ele representa, então a possibilidade de um machucado nessa área pode brochar qualquer um.

6. Fique com nojinhos

Fique com nojinho dos cheiros, dos pelos, dos fluídos. Pare toda hora para enxugar aquela babinha que começa a acumular. Não há nada mais brochaste para alguém do que saber que o outro está com nojo de você. Se esse for o seu caso, nem comece.

7. Fique sempre nos mesmos movimentos e velocidades

Boquete é igual a filme – tem que ter começo, meio e fim. Cada uma dessas etapas, exige uma adaptação. Basicamente os movimentos devem ser alternados com uma boa frequência e a velocidade tem que ir aumentando gradualmente, até chegar no climax. Sexo oral muito parado é igual aquele filme que te dá vontade de dormir nos primeiros 15 minutos.

8. Não deixe ele ajudar

Pra fazer um boquete até o final, geralmente precisa-se de muita agilidade e rapidez nos momentos finais. Se você consegue dar conta, excelente. Caso contrário, deixe ele ajudar com os movimentos, assim fica melhor para você e para ele – muito melhor do que não conseguir terminar e ficarem, ambos, frustrados.

9. Pare na hora em que ele for gozar

Ninguém está dizendo que você não tem direito de não querer engolir, mas imagina se ele sempre parasse na hora em que você fosse gozar? Se tem nojo, há alternativas – camisinha, cuspir, terminar com a mão. O que não dá para fazer é interromper o processo na melhor hora.

10. Economize saliva

Sexo definitivamente não combina com secura. Nada seco no sexo é bom, incluindo sexo oral. Lubrificação é essencial se você não quiser machucá-lo.

11.  Não olhe nos olhos

Não tem nada mais sexy e provocador do que uma mulher que olha nos olhos enquanto trabalha. É uma atitude que mostra que ela gosta do que está fazendo, que sabe que faz direito e que não tem nenhuma vergonha disso. Totalmente necessário.

12. Ignore as bolas

As bolas dele não estão ali de enfeite. Ignorá-las é a mesma coisa de um homem ignorar seus seios na hora do sexo. Elas podem não ser a chave do prazer, mas com certeza uma boa pegada acrescenta muito no balanço final.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

3 tipos de mulher

Existem 3 tipos de mulher: a “malcomida”, a “não-comida” e a “bem comida”. Podemos até fingir, mas todos sabemos: elas são totalmente diferentes.
A primeira espécie se divide em dois sub grupos:
  • A que admite que é malcomida;
  • A que finge que não sabe que é malcomida.
Vamos e venhamos, a fêmea que se assume malcomida pode tentar melhorar sua performance, animar o parceiro, pode até escolher outro macho, bananeira, mulher ou lhama para copular. Ela pode variar o cardápio e tentar ser feliz. Todos temos direito a majestosas alegrias que o orgasmo pode provocar naquele que goza. Assumir que as coisas não vão bem é prova de coragem, falta de preguiça e auto conhecimento.



Agora, respeito por aquela que joga no time do “tá ruim, mas tá bom” eu não tenho não. O que me deixa petrificada é a frase lugar-comum que já escutei sair da boca de algumas amigas: “eu gosto, porque sou apaixonada por ele”. Quando escuto essa confissão, tenho vontade de responder que “ninguém se apaixona por um vibrador, no entanto ele gera orgasmos”. Logo, as mulheres podem amar um homem que não seja um Neymar do sexo, mas tem que ter raça o filhote! Assuma: “-Eu o amo, mas ele não é nenhuma maravilha na hora de dar no couro”.
O segundo tipo é raro, mas existe. São mulheres seletivas, aves raras que não topam qualquer um e não fáceis de serem capturadas. As não-comidas esperam um grande homem que as faça passar para a classe das bem comidas. Cuidado ao topar com uma dessas. Elas não se contentam com pouco e costumam se entregar apenas para alguns poucos cavalheiros ou cavaleiros (dependendo do momento). Porém, quando o fazem é por completo.
Normalmente, são mulheres precisas na hora do amor físico: ágeis e ousadas nos momentos certos, submissas e dengosas quando necessário. Elas gostam do sexo em si, independentemente de com quem o praticam. Sendo ou não apaixonada pelo cara com o qual está trepando, a bem comida gosta daquilo, ela se delicia na cama. Tenha sempre em mente que uma não-comida, quando é uma fêmea de verdade, considera esse estágio sempre transitório. Ela só mudará de tipo se for para ficar encharcada de prazer, trepar com vontade e sem limites, ou seja, ser bem comida.






Caminhando para o fim, falemos da bem comida (e, sinceramente, espero que entre elas esteja a sua mulher). Essa é alegre, generosa. Pode ser bonita, feia, alta, magra, gorda ou baixinha. Toda bem comida tem uma coisa especial: um molejo confiante no andar. Ela pode não ser a mais gostosa, pode não ser a rainha da festa.
Mas, aquela malemolência nos quadris não nasce de graça, meu amigo. Aquelas ancas são resultado de um corpo sem fronteiras, que sabe se doar ao prazer. Fruto de trepadas federais, dedos, línguas, p*, bcts, bundas, carinhos, gemidos e berros naturais, livres. Adoro as bem comidas! Elas sabem e sentem o que é ser feliz.

Sexo, verdades que incomodam!

Se existe uma unanimidade neste mundo é que transar é bom pra carvalho! Mas há várias coisas relacionadas ao sexo de que ninguém quer falar, ou não faz a mínima ideia, ou nunca parou para pensar no assunto. Verdades incômodas, mas que, como verdades, devem ser ditas. Em benefício de melhores trepadas para todos nós.
Para ser justa, dividi a coisa em três partes: para eles, para elas e para ambos. Listas simples, com nove itens cada. Listinhas assim sempre têm dez itens, eu sei. Mas aqui, o décimo fica por conta de vocês. O que vocês acham que faltou dizer, para eles, para elas, para ambos?

Para os homens

1. Porra no olho arde. Pra cacete. Gruda e deixa o olho irritado por um bom tempo – só não me pergunte quanto, porque francamente, nunca cronometrei. Mas sei que não tem graça nenhuma. E nos deixa com sede de vingança.
2. Sei que vocês nunca pararam para pensar nisso, mas por favor, cuidem das unhas e cutículas das suas mãos. Se estiverem pontudas, elas podem machucar nossas mucosas e acabar com a diversão da noite. Especialmente se o objeto da questão for o rabo.
3. Peitos naturais se movem. Se estamos de lado ou de quatro, eles se inclinam e mudam de forma. Só os de silicone continuam sempre redondinhos e duros. Conformem-se.
4. Peido vaginal. Acontece. So sorry, baby. E se o ar entrou, alguma participação você teve na coisa, né? Então relaxa, descontrai, se for o caso aperta a parte de baixo da barriga da moça para já sair todo o ar de uma vez… e assunto resolvido, volta-se ao que interessa.
5. Quer comer o rabo da garota… Então por favor assimile de uma vez por todas que é preciso preparar o território antes, com toda calma e dedicação do mundo. Usar a língua, os dedos, ou “brinquedinhos”. Fazer a mulher ficar muito a fim da coisa. Saber que ela tem de estar relaxada e com tesão… que tem de ser bom para ela também, se não, sem chance. E também tenha consciência de que podem acontecer acidentes de percurso. E que eles não cheiram bem. E para concluir: uma coisa é frescurinha… outra é higiene. Entenda que rabo é cheio de bactérias. E não queira enfiar os dedos (ou o pau) que estiveram nele na buceta sem uma lavadinha básica (e nem os use para masturbar a coitada, a menos que você queira lhe dar de presente uma linda cistite).
6. Não ache que filme pornô serve como educação sexual. Metade do que se vê neles não vale na vida real. Além de fantasiosos, eles são feitos por homens, para homens. Portanto, são focados no prazer masculino e cagam para o feminino. Mulheres de verdade dificilmente gozariam com o roteiro pornô básico. Então, a menos que você não esteja nem aí para a mulher, se ela vai se divertir também ou não, melhor descobrir na prática como funcionam as coisas. Observe as reações da moça, pergunte, aprenda.
7. Rabo, seja lá o de quem for, se come de camisinha. Primeiro, porque as bactérias que sempre estão dentro dele, mesmo que a moça tenha feito lavagem com desinfetante, podem entrar pelo canal da sua uretra e causar inflamações nem um pouco interessantes. (Se quiser insistir no risco, pelo menos se lave depois, e esvazie a bexiga para limpar o canal.) Segundo, porque o risco de transmissão do vírus da Aids pelo sexo anal é muito maior. E isso vocês já deveriam estar cansados de saber.
8. Aquela mocinha linda, cheirosa, educada, sorridente, de família quase boa, também acorda com mau hálito, vai ao banheiro, arrota, solta pum dormindo (e acordada também), ou ronca, baba no travesseiro ou o que for. Gente é assim.
9.  A maioria de vocês quer mulheres perfeitamente depiladas. Beleza. A maioria de nós também prefere assim. Mas sejamos justos… Você também tem de fazer a sua parte. Minimamente apare os pentelhos, porra. E outra, pelos nas costas a gente também não gosta não. A época em que o Tony Ramos era considerado gostoso já passou faz tempo.
As mulheres têm variedade de "penteados", o que não significa que homens tenham que ser Capitães Caverna!

Para as mulheres

1. Se você está a fim (eu disse a fim, e não fazendo só pra agradar, o que é uma merda) de deixar o cara gozar na sua boca, beleza, vai fundo. Agora, em tempos de Aids, isso definitivamente não é coisa para se fazer com qualquer um. Também há risco de transmissão do vírus assim.
2. Se não está gostando de alguma coisa no sexo, fale, pô. Bola de cristal, ninguém é obrigado a ter. Acredite, seu namorado/marido/rolo vai conseguir sobreviver à crítica. E você vai ficar bem mais satisfeita.
3. Não fique parada como se seu único papel na cama fosse se deixar ser comida. A época da mulher-saco-de-batatas já passou. E se você não toma iniciativa porque acha que ele vai se assustar ou te desvalorizar por isso… Francamente, se o medo tem fundamento, o que você está fazendo com um babaca desses?
4. Não queira levar uma DR na cama. Tem hora e lugar pra tudo.
5. Se vai chupar, pelamordedeus, cuidado com os dentes. Uma raspada mais entusiasmada na cabeça do pau, fodeu. (Ou melhor, não fodeu mais.) E isso vale também para unhas compridas. Cuidado. Tudo o que não queremos nessa hora é um pau esguichando sangue.
6. Não fale como criancinha. Ixu naum é uma graxinha. A maioria dos homens acha essa mania um porre. (E eu concordo total com eles.)
7. Por favor, quando for para a cama com um cara, esqueça da chapinha. Depois você arruma de novo e pronto. Era só o que me faltava você ficar pensando em cabelo numa hora dessas.
8. Não dê o rabo só para deixar seu homem contentinho. Dê se estiver a fim e ele mostrar que tem a paciência e a competência necessárias para ser ótimo para você também. E nesse caso, relaxe completamente e se divirta. Acredite, isso é muito possível.
9. Cama não é lugar para vergonhinhas. Deixe isso pra lá e vá ser feliz.

Para ambos

1. Se quiser ser chupado(a), tenha o bom senso de se lavar.Nada mais broxante do que começar a chupar alguém e sentir cheiros vindos da área traseira. E pedacinhos de papel higiênico grudados também não são coisas lá muito excitantes.
2. Língua dura serve para… para… para? Bom, acho que não serve pra nada. Então, na hora de chupar, relaxa essa porra, caralho. Se vai cair de boca, faça com gosto. Se não, melhor discutir a crise econômica mundial.
3. Não vete a realização de fantasias do outro sem nem parar para pensar com carinho na coisa primeiro. Não é porque você não teve aquela ideia antes que ela não pode ser boa. Vai que…
4. O ditado diz: “Onde um não quer, dois não brigam”. E onde um não quer, dois não trepam. Se ela definitivamente não quer dar o rabo, ou ele não quer um fio terra, ou ela não está a fim de um ménage com outra mulher ou ele de um com outro homem, ficar insistindo é chato pra cacete. E broxante.
5. Mão parada não dá tesão. Se a ideia é excitar, deslize, movimente, aperte (dependendo do que for, com cuidado!), faça alguma coisa, porra. Não fique ali só segurando peito, bunda ou pau como se eles corressem risco de cair sem essa sustentação.
6. Tem nojinho de chupar, de beijar depois do oral, ou qualquer coisa do gênero? Então vai jogar videogame, ler um livro, assistir a novela. Bem mais asséptico. (E vamos combinar que você não gosta tanto assim de sexo, né?) 7. Não leve os/as ex-namorados/as para a cama de vocês. (Não, não estou falando de ménage. Só das pessoas que no meio do sexo começam a comparar sua performance com a dos ex., querendo ouvir que são melhores na coisa.) Você pode acabar descobrindo o que não quer saber.
8. Não faça tipo. Cama não é lugar para atuações. Fale o que sair naturalmente, não o que você ouviu o ator ou a atriz dizerem em um filme pornô. Um “me fode, seu puuuto!” ou um “isso, chupa gostoso o meu cacete, vagabunda”, soando a texto decorado e interpretado com caras e bocas, podem ter como resultado uma gargalhada, uma broxada, um “putaqueopariu, que que eu tô fazendo trepando com essa figura?”. Tudo, menos excitação.
E, para terminar:
9. Sexo é coisa feita em parceria, e com direitos iguais. Aos gostos, às fantasias, aos fetiches… e ao orgasmo. Quer ser bem chupado/a? Faça por merecer. Gozou antes? Dê seus pulinhos e equilibre as coisas. Boca e mãos estão aí pra isso também. E funcionam super bem

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Massagens que esquenta a cama!

Massagem aumenta a intimidade do casal, desperta a libido e pode transformar uma noite simples em inesquecível. Siga as técnicas da professora de artes sensuais Lu Rivas e prepare-se para fazer esse momento pegar fogo

Parte de trás das pernas
· Apoie a perna esquerda dele sobre as suas.
· Sobreponha as mãos imitando a cabeça de uma serpente.
· Pressione a base do calcanhar dele e suba pela panturrilha, fazendo movimentos em "S".
· Quando chegar à parte de trás do joelho, desça arranhando de leve.
· Suba novamente, desenhando um oito deitado atrás do joelho.
· Torne a descer arranhando de leve.
· Suba agora até a base do bumbum, passando por trás da coxa, e desça arranhando bem de levinho.
· Repita a sequência na perna direita.

Bumbum e quadris
· Sente-se sobre as pernas dele.
· Posicione os dedos polegares lado a lado e deslize-os sobre o bumbum, em direção aos quadris.
· Desça pela lateral das pernas, arranhando devagar.
· Apoie uma mão em cada perna e suba serpenteando até o bumbum novamente.
· Aperte os glúteos de leve, alternadamente.

Costas e nuca
· Sente-se no meio das pernas dele.
· Desenhe com os polegares um coração no cóccix (região onde termina a coluna). Repita três vezes.
· Sobreponha as mãos e deslize-as até a nuca.
· Separe-as e passe pelos ombros, pressionando.
· Desça arranhando.
· Sente-se na lombar dele, de forma confortável, e deslize seu corpo quente pelas costas dele.

Peito dos pés
· Peça para ele virar de frente.
· Apoie o pé esquerdo dele sobre suas pernas.
· Massageie o dorso começando pelos dedos e abra a mão em direção ao calcanhar.
· Repita três vezes e passe para o pé direito.

Parte da frente das pernas
· Apoie a perna esquerda dele sobre as suas. Sobreponha as mãos e suba serpenteando até o joelho, pelo lado interno.
· Faça movimentos circulares no sentido horário na lateral do joelho.
· Pare uns segundos e recomece, no sentido anti-horário.
· Desça deslizando as pontas dos dedos.
· Torne a subir serpenteando até o joelho, só que pelo lado externo.
· Repita os movimentos circulares nos sentidos horário e anti-horário.
· Desça arranhando de leve.
· Agora, suba serpenteando pela coxa até a virilha.
· Desça em direção ao joelho, primeiro pelo lado interno e depois pelo externo.
· Repita a sequência na perna direita.

Barriga, peito e pescoço
· Posicione as mãos abaixo do umbigo.
· Suba pelo centro do peito, sem colocar pressão.
· Desça roçando os corpos.
· Sente-se sobre o quadril dele e beije delicadamente o pescoço.
· Torne a descer roçando seu corpo no dele.
· Termine a massagem com um delicioso sexo oral.

Planta dos pés

· Peça para que seu parceiro deite de costas.
· Apoie o pé esquerdo dele sobre suas pernas.
· Com a mão fechada, pressione a planta, fazendo movimentos para cima. Repita três vezes.
· Aperte o meio do pé (região da curvinha), usando o polegar.
· Ainda com o polegar, pressione cada dedo.
· Volte a fazer o movimento para cima da planta com a mão fechada.
· Repita a sequência no pé direito.


Saiba como evitar que o relacionamento se desgaste!

A rotina, temida inimiga da vida sexual, pode afetar outras áreas do relacionamento. No início do namoro, o casal quer aproveitar cada oportunidade de transar e ficar juntinho. "Já quando moram sob o mesmo teto, esses momentos tornam-se corriqueiros. A facilidade diminui o empenho em fazer de cada encontro algo especial". E, no dia a dia, podem adiar conversas importantes e não esclarecer mal-entendidos, abrindo espaço para mágoas.
O que fazer?
Para driblar a monotonia é preciso inovar na cama e também fora dela. "Reservem um tempo para namorar, sair e se divertir juntos. E não dispensem o beijo na boca". Ter e conceder momentos de individualidade também ajuda. "Deixe-o tomar aquele chopinho com os amigos sem fazer cara feia". Assim, sentirá saudade e mais desejo de encontrá-lo.


O vilão do tempo
Quando a paixão dá lugar ao amor e o namorico vira relacionamento estável, alguns conflitos podem aparecer. "Em uma relação longa, o companheirismo muitas vezes fala mais alto. Há um envolvimento maior, e você se preocupa com o bem-estar do outro, compartilha problemas..." . Por isso, o jogo de sedução e o gostoso clima de romance entre os dois ficam um pouco esquecidos. A segurança de uma relação pode acomodar e eliminar o friozinho na barriga.
O que fazer?
Planeje uma viagem ou reserve um final de semana só para vocês (se for preciso, mande a criançada para a casa da avó!). Dessa forma, podem compartilhar experiências especiais e abrir espaço para se apaixonarem de novo, relembrando, assim, os motivos que uniram vocês. "Separe um dia por semana ou tenha, a cada 15 dias, um encontro com seu amado. Pode ser um jantar romântico, um cineminha e - por que não? - terminar a noite em um motel".

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

uma linha tênue entre dor e prazer. Se as expressões de alguém com tesão e prestes a gozar fossem registradas em fotos, seria difícil diferenciá-las das expressões de alguém sentindo dor. No entanto, é complicado aceitar esse fato – principalmente, porque o nosso lado racional insiste em afirmar que sentir prazer em sentir dor só pode ser uma perversão, uma coisa de gente “doente” ou tarada.
Esse fator ainda não explicado fica reprimido dentro de muita gente. Mas vestígios deles são a nossa volta. Seja nas entrelinhas -“depois brinca comigo, ri do meu umbigo e me crava os dentes.” – ou no papo reto – “dói, um tapinha não dói – o fato é que já faz tempo (as primeiras obras sobre sadismo e dor datam por volta de 1885) – que a humanidade tenta entender a relação do prazer e dor.
Sempre quis entender de onde vem esse nosso prazer em sermos submetidos no sexo. Há as justificativas médicas, que os nervos sensoriais dos genitais masculinos e femininos seriam os mesmos que transmitem dor e prazer. Há também as justificativas da psicanálise, baseadas na explicação Freudiana que fetiches desse tipo viriam de situações vividas na infância. O fato é que, ninguém ainda conseguiu encontrar uma explicação definitiva e comprovada para explicar o número enorme de pessoas que gostam de sentir algum tipo de dor no sexo.
Se você procurar na internet sobre a questão da relação dor X prazer, muito provavelmente vai encontrar, em sua maioria, arquivos referentes ao sado-masoquismo, que é o extremo dessa relação. Mas pra pensarmos no desejo da dor como potencializador do prazer, não precisamos ir tão longe. Vamos falar aqui dos casos mais sutis, dos que não querem se aprofundar na fantasia, mas que sentem prazer em serem amarrados, amordaçados, mordidos ou pegos com força no sexo. Se você nunca teve esse desejo, provavelmente conhece alguém muito próximo que já teve – é muito mais comum do que você possa imaginar.

Puxa meu cabelo?
Quando falamos da inserção da dor no sexo, estamos nos referindo a um contexto. Ninguém é maluco de gostar de sentir dor do nada – se fosse assim, os sádicos teriam orgasmos múltiplos se cortando sozinhos. Por isso, o que notamos é uma grande quantidade de pessoas que tem uma capacidade de erotizar a dor, fazendo com que ela se transforme em um agente potencializador do prazer. Há um botãozinho desses transformadores presente em todos os que gostam de uns arranhões e umas puxadas de cabelo durante o sexo.

Já se sabe que fantasias são muito melhores vividas dos que explicadas. Cada um tem a sua – você pode chamar de louco aquele que sente tesão com coisas que não são racionalmente normais, mas com certeza você também têm um pouco de bizarrice escondida. Saber desenvolver suas fantasias de uma forma saudável – sem correr riscos e nem colocar ninguém em perigo – é uma das formas mais eficientes de evoluir o prazer no sexo. Ter alguém em quem confia  que tope realizar suas fantasias mais proibidas pode ser sua chance de experimentar um prazer que você nem imaginava que existia. Mas, claro – esse prazer é privilégio exclusivo dos que têm coragem de perder a razão de vez enquando.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Hétero, Homo ou Bissexual?

Essa história de termos que decidir se somos heterossexuais ou homossexuais, faz com que tenhamos que rejeitar e mascarar aspectos naturais que são associaodos ao sexo oposto. Se quem se define, se limita, então somos todos um grupo de pessoas extremamente limitadas – precisamos por pra for a nossa androginia encubada.

Quando falamos em androginia, logo pensamos no cara delicado e afeminado ou na mulher troncuda com semblante masculino. Mas na verdade, todos nós somos um pouco andróginos ou temos potencial para tal – mas, vivendo em uma sociedade em que homem que chora é visto como “boiola” e que mulher que gosta de carro é visto como estranha, crescemos com uma regra internalizada – devemos reprimir ao máximo características do sexo oposto.
Os homens foram os que mais sofreram com essa repressão. As meninas sempre tiveram “autorizacão” para brincarem juntas, andarem de mãos dadas, fazerem carinho. Os meninos, coitados, nunca tiveram esse direito. Já conheci uma mãe que levou o filho ao psicólogo porque ele gostava de brincar de varrer a casa. Outra que forçava o filho a jogar futebol porque era isso que meninos normais faziam. Se até os pais que, em teoria, querem o nosso bem são capazes dessas repressões sem sentido, quem dirá o resto da sociedade.
Mas, mesmo que muitos não aceitem, todos nós temos características femininas e masculinas – só que algumas pessoas as reprimem mais, e outras menos. Por isso, os pesquisadores apontam claramente para um futuro bissexual, no qual iremos escolher pessoas nos baseando na afinidade  – o sexo será apenas uma característica secundária.

Ele Já Sabia

Um pesquisador chamado Alfred Kinsey, o grande responsável pela primeira pesquisa profunda sobre a sexualidade dos americanos, já entendia bem esse conceito da androginia. Para ele ser homossexual ou heterossexual, significa dois extremos raros. A grande maioria das pessoas se encontra num meio termo. Grande sacada. Ele organizou a orientação sexual das pessoas numa escala, que ficou conhecida como escala Kinsey:

Ou seja, se você se diz heterossexual ou homossexual, você é uma grande exceção na sociedade. A grande maioria das pessoas tem atração pelo mesmo  sexo em algum nível – esse fatos geralmente passa despercebido porque, no primeiro sinal dessa atração, muita gente trata de escondê-la e guardá-la a sete chaves – “vai que eu viro gay.
Então, se você acha que se enquadra no “exclusivamente heterossexual” , por exemplo, será que está nesse posto porque nunca sentiu o mínimo de atração por alguém do mesmo sexo ou porque reprimiu esse desejo? Se ninguém fosse ficar sabendo nunca, você não experimentaria se pegar com alguém do mesmo sexo? De verdade? Nunca sentiu nem um tesãozinho assistindo aquele filme gay? Nunca teve um sonho erótico dos bons com o colega de trabalho?
Para os radicais, falta um pouco a coragem de admitir que é possível sim sentir prazer em alguma escala com o mesmo sexo – não estamos afirmando que todo mundo é gay, mas prazer é prazer, todo mundo é capaz de dar e sentir – independentemente do gênero

Bissexuais – eles estão na frente



Nunca gostei do termo “bissexual” pois acho que ele rotula tanto quanto “homossexual” ou “heterossexual”, indo contra à ideia de que é muito difícil ser completamente uma coisa ou outra. Mas, como precisamos nos referir a eles de alguma forma, usamos esse termo mesmo.
Muita gente vê os bissexuais ou os intermediários, se pensarmos na escala Kinsey, como pessoas indecisas em cima do muro. Muita gente os vê como os coitados-que-ainda-não-se-descobriram, quando, na verdade é bem o contrário – eles já se descobriram sim e estão se dando muito melhor do que os radicais – eles estão se divertindo mais e vivendo experiências sexuais muito mais interessantes, já que aproveitam o que cada sexo tem de bom.
Há, inclusive, pesquisadores que afirmam que uma pessoa só está madura sexualmente e afetivamente, quando reconhece algum nível de bissexualidade em si. Isso não quer dizer que todo mundo precise ter algum tipo de relação com alguém do mesmo sexo, até porque, existe a questão da atração envolvida. Mas as pessoas que já aceitaram que que essa limitação de ser 100% uma coisa só é balela, e já estão se antecipando num comportamento que, com certeza, será natural nas próximas gerações. Queira você goste disso, ou não.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Chá Erótico - Que tal marcar um encontro comigo?!

Chá Erótico

A Segredo feminino traz para você o Sex Shop à domicilio ou Chá Erótico. Se você tem vergonha de entrar numa loja, mas tem curiosidade em conhecer os produtos ou se você quer apimentar a relação e sair da rotina vamos agendar um Chá Erótico, onde o principal assunto é Sexo!

Nesta nova modalidade de Chá é apresentado vários tipos de acessórios eróticos,a idéia é explicar para que servem, quais sensações eles proporcionam e como podem ser utilizados. Desde lingeries sensuais a vibradores, produtos afrodisíacos, gel que esquenta  e esfria, caneta e vela comestíveis  e muito mais. Você tem a possibilidade de conhecer os produtos e comprar com total discrição.

No Chá o clima é de puro divertimento, descontração e muita, mas muita informação sobre o universo do prazer carnal.  É falado sobre tudo sem nenhum pudor e dado algumas dicas sobre sexo oral e anal, onde as mulheres tem mais constrangimento de falar e fazer.

"Muitas vezes o Chá acaba virando um tipo de terapia coletiva, onde cada uma expõe os desafios enfrentados dentro do relacionamento e isso acaba sendo muito compensador para mim como mulher e profissional, pois sinto que posso colaborar a aumentar a auto estima e a relação sexual das minhas clientes".

não cobramos para participar dos Chás Erótico, os produtos são levados aos Chás sem compromisso. Para o encontro ficar mais intímo e descontraído temos as seguintes exigências:

  1. É necessário agendar com 7 dias de antecendencia
  2. Os grupos precisam ter no máximo 15 mulheres
Como eles funcionam?

     Os Chás Erótico são realizadas pela personal sex trainer . O local deve ser escolhido pelo anfitrião, que pode ser a sua residência, casa de um (a) amigo (a), no seu trabalho, salão de festas, enfim o lugar que você desejar de modo que à abordagem e a apresentação de produtos eróticos aconteça em um ambiente aconchegante. Você pode realizar uma reunião para comemorar seu aniversário ou em qualquer outro evento.
  
Por que organizar um Chá Erótico?

- É o motivo ideal para reunir as suas amigas num Happy Hour inusitado e diferente.
- Alguns produtos você pode experimentar antes de comprar.
- Entregamos a você discretamente.
- Você aprende sobre os produtos e como usá-los.
- Oferecemos um conselho discreto.
- Ótima oportunidade para iniciar ou expandir acessórios para turbinar a sua relação.

Como organizar o Chá Erótico?

     Você deve informar o mais rápido possível para coordenarmos a agenda. Com 7 dias de antecedência é o ideal, mas sem dúvida faremos todo o possível para atender em curto prazo.
   
Quanto tempo?

     Em média as reuniões duram de duas a quatro horas, entre apresentação dos produtos, dicas e venda. Enfim, visa informar sobre um conjunto de possibilidades para enriquecer a vida erótica de mulheres e homens.

Quanto custa?

     NADA*!!! Isso mesmo, não cobramos taxas nenhumas para realizar o Chá Erótico. No final a   anfitriã ou a pessoa que agendou o chá ganha um brinde.

Para solicitar seu Chá Erótico
ou em caso de dúvidas entre em contato.

(083) 8891 8677 - Renata Ferreira
 

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Os erros que os homens cometem na cama

Pra dar uma forcinha pros homens e ajudar a diminuir o número de mulheres insatisfeitas, reunimos aqui os 25 erros clássicos que os homens tem que evitar a qualquer custo na cama. Divirta-se:

1. Querer tirar o sutiã dela com uma mão só e demorar 3 minutos para conseguir;
2. Manter distância quando estão de TPM – quando na verdade umazinha tem o poder de deixá-las calminhas, calminhas;
3. Apertar os seios dela como se fossem buzinas;
4. Pular o sexo oral e já querer ir direto pros finalmentes;

5. Deixar gorgonzola acumulada e fingir que está tudo bem;
6. Falar coisas fofinhas na hora do sexo;

7. Ficar falando de 5 em 5 minutos: “Goza, minha delícinha, goza pra eu ver, sendo que a grande culpada pela demora é a incompetência dele;

8. Gozar antes dela e não fazer nada a respeito;
9. Chupá-la como se lambesse uma tigela de leite.
10. Rir ou brochar dos barulhos de ar acumulado dentro da mulher por causa da penetração -  qualquer homem que já transou mais de 3 vezes na vida, sabe que isso é normal.
11. Querer fazer práticas mais “arriscadas”, sem pedir autorização (Ex clássico – deep throat);
12. Fazer aqueles barulhos de  cachorro rosnando quando está transando – se não sabe gemer, me come em silêncio.
13. Pular preliminares;
14. Pedir para chupar as bolas dele, mesmo que ela nem consiga vê-las de tanto pêlo.
15. Confundir carinho e cuidado com compromisso – gostamos de carinho e cafuné depois do sexo, mas isso não significa que estamos querendo algo mais;
16. Ignorar instruções e ainda por cima falar: “Deixa comigo que eu sei o que tô fazendo”
17. Comê-la como uma puta e depois continuar tratando ela do mesmo jeito;

18. Trocar o nome dela;
19. Deixar chupões em qualquer parte visível do corpo – e obrigá-la a ter que se preocupar em escondê-lo pelos próximos 10 dias;
20. Parar ou diminuir a velocidade quando a mulher está subindo pelas parede querendo mais;
21. Tirar toda a roupa e esquecer as meias – não tem cena mais brochante do quem alguém pelado, só de meias;
22. Broxar quando for colocar a camisinha -  se você tem esse problema, treine em casa até conseguir superar esse trauma;
23. Entrar pela porta dos fundos e dizer que foi “sem querer”;
24. Ficar com dela – se ela aceitou ir pra cama com você, então represente;
25. Errar o clitóris e ainda achar que está arrasando na performance;

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Mulher que dá no primeiro encontro queima o filme?

O fato é o seguinte: tanto homens e mulheres gostam de sexo, sentem tesão e querem transar. Se rolou uma química, porque só o homem tem o direito de querer sexo? Mulheres querem também! Isso não quer dizer que tenhamos que sair transando com o primeiro que encontrar pela frente, mas se bateu vontade, por que não? Precisamos ter o direito de escolhermos o que nos faz feliz, sem nos deixar influenciarmos pelos julgamentos dos outros.
E se você ainda pensa que mulher que transa no primeiro encontro é vadia, os itens a seguir são pra você:

-        Mulheres tem tesão igual os homens. Muitas vezes os dois vão pra casa com vontade e desperdiçam a chance de ter tido uma noite incrível.

-        Homem que acha que mulher fica desvalorizada por querer transar, merece mesmo uma mulher sem atitude, que não tem
coragem de dizer o que quer e o que pensa.

-        Transar no primeiro encontro só vai ser negativo se o sexo foi ruim. Então se for transar, represente.  Se o sexo foi ótimo, porque ele não iria querer sair com você de novo?

-        Aceite o fato que algumas pessoas só querem transar mesmo, e tem o direito de escolher isso – tanto mulheres quanto homens. Se vocês transaram e ele nãodeu mais as caras, pode ser que só estivesse a procura de sexo mesmo. E seria igual se tivesse transado no 3o, 4o ou 10o encontro. Aceite esse fato.

-        Mulheres que não se prendem a esses padrões enraizados na sociedade são mais livres, independentes e seguras. Você escolhe a mulher que quer ter ao seu lado.

-         Se ela transou com você na primeira vez, isso não significa que ela faz isso com todos os outros – pra querer sexo é preciso haver conexão. Se for pra ser sem conexão, ficamos com nossos vibradores, obrigada.

sábado, 16 de julho de 2011

Que tal ter um Segundo amor?! (SECOND LOVE)

Vista por muitos como um site para encontrar amantes, a polêmica rede social Second Love chegou ao Brasil nesta semana com uma proposta bem conhecida nas baladas: é gratuita para as mulheres, mas os homens têm que pagar para ter um perfil. A rede é focada em usuários que estão em um relacionamento mas buscam um “segundo amor” ou simplesmente uma aventura extraconjugal.

“ninguém é forçado a se cadastrar”...

o que diferencia o Second Love de outras redes sociais como Orkut ou Facebook é o objetivo de quem procura o site. Enquanto as outras redes sociais são baseadas em conexões de amigos, o Second Love tem foco nos usuários que querem conhecer novas pessoas que se encontrem na mesma situação: mulheres e homens que estejam casados, ou num relacionamento, e desejam viver uma aventura ou um namoro on-line com pessoas que estejam em condições similares.


Para garantir o sigilo de seus usuários a rede social permite o contato anônimo entre os internautas e possibilita a postagem de fotos privadas – que será exibida apenas às pessoas que interessam, mediante uso de uma senha. Além disso, todas os perfis e fotografias são verificados manualmente pela equipe do site. Imagens consideradas “indecentes” são descartadas.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Coisas que podem assustar sua parceira na cama

Boa noite meus amores, queria em primeiro lugar (mais uma vez) me desculpar por minha ausencia, e minha falta de tempo de postar aqui no blog =)

Inaugurei minha SEX SHOP, ja imaginam o quanto estou feliz heein?!  Mas vou deixar de bla bla bla, e postar algo interessante, rs!






Sexo pode ser algo muito bom, íntimo e gratificante, mas, por outro lado, também tem a chance de ser uma coisa bastante intimidante. Justamente por mexer com um lado mais instintivo do ser humano, o sexo dá vazão a atitudes que podem assustar a parceira e fazê-la pensar em assumir voto de castidade para o resto da vida. Sendo assim, em nome do famoso “senso de noção”, preparamos uma pequena lista de algumas coisas para se levar em conta quando levar a menina para sua alcova.

1) Em mares nunca dantes navegados
Um dos cuidados a se ter é não forçar a menina a fazer algo que nunca experimentou antes. Se ela estiver um pouco sem graça ou com baixa autoconfiança, pedir para ela fazer um strip-tease ao som de um funk, balançando os peitos, não vai cair bem. Sonde primeiro o que ela gosta ou não, e até mesmo pergunte: “você já experimentou fazer algo assim?”. Acredite, provavelmente vai despertar a curiosidade da moçoila e você vai conseguir o que queria.

2) Olha a boca, menino
Outro fator de terror sexual é falar baixarias durante o ato sexual. Aqui a coisa divide opiniões, com aqueles que gostam ou não, mas também é preciso ter um certo cuidado e preparo para isso. Uma coisa é você suspirar fantasias ao pé do ouvido e a outra é parecer um refugo de filme pornô na década de 80 ou, pior ainda, um assassino serial. Se você gosta, vá testando devagar até onde pode chegar.

3) Fraternidade sim, violência não
Essa é muito comum de acontecer, já que no meio da empolgação do momento, o marmanjo se entusiasma e tasca um tapa nas nádegas da menina com uma força tal que deixa até impressão digital. Acontece que tem muita moçoila que abomina esse tipo de atitude. Sendo assim, tente saber antes se ela curte uma transa mais pesada ou espere ela pedir. Isso também vale para tapas na cara, apertar o pescoço etc.

4) Completinho com acessórios
Você até pode ser do tipo que curte brinquedos sexuais como vibradores, algemas, máscaras, fantasias de bombeiro e Cathy, a vaquinha inflável, mas isso é o seu mundo, e pode não ser o dela. Enquanto não entender até que ponto pode ir, mantenha-os bem guardados e longe da vista.

5) Existe de tudo nesse grande supermercado de fantasias
Fantasias eróticas como ménage, swing, sadomasoquismo etc. podem acontecer naturalmente se houver um acordo prévio e concordância entre as duas partes. Trazer isso à tona de repente ou ainda tentar fazer uma surpresa para a parceira vai trazer consequências catastróficas.

6) A partir deste ponto é necessário autorização da chefia
Não tente fazer sexo anal sem o consentimento expresso e verbal dela. Não é preciso mais explicações do que isso.

sábado, 2 de julho de 2011

PRELIMINARES JA!

Por mais que muitas mulheres digam que homem odeia preliminares, na verdade o que existe mesmo é um tremendo descompasso entre a excitação masculina e feminina. Enquanto um macho de respeito está pronto para a ação em segundos, uma mulher pode levar até 20 minutos para se sentir excitada. E isso acontece especialmente se a moçoila estiver em um relacionamento de longo prazo, em que a novidade foi embora e a rotina tomou conta da vida sexual do casal. Além disso, a excitação feminina depende de alguns fatores não-sexuais, diferentemente dos homens, ou seja, a mulher precisa ter o desejo sexual para rolar na cama e ter prazer.
Como todo homem deseja ser considerado uma máquina sexual por suas parceiras e toda mulher quer uma transa inesquecível, fui em busca de dicas para fazer com que o começo da transa seja o melhor possível:


1 – Criando intimidade sexual
A primeira coisa que um homem tem que entender é que é preciso sempre criar intimidade sexual com sua parceira, por mais que a relação tenha anos. E não é só na cama. Dar flores, bombons, pequenos presentes, mandar mensagens no meio do dia, ir ao um motel e até mesmo ajudar em tarefas cotidianas já ajudam a criar o clima certo para a noite de volúpia.


2 – Nunca esqueça do que fazia quando tentava conquistá-la
Mulheres são tácteis e auditivas em termos de excitação. Dizer ao pé do ouvido frases carinhosas e elogios são ótimas maneiras de ligar o botão de On/Off para um momento de prazer. Toda mocinha gosta de escutar que é bonita ou gostosa e sabemos que você fazia isso quando estava tentando trazê-la para seu lado, portanto não abandone o ato. No lado táctil é que entram beijos, abraços e carícias que seguramente vão despertar o lado mais safado dela.


3 – Não caia na armadilha do mea culpa/sua culpa
Não existe script para uma boa preliminar e sim alguns truques e muita paz de espírito. Isso porque muitos mancebos quando notam que a menina não está se excitando como ele esperava, começa a ter crises de auto-estima e achar que está fazendo algo errado, para logo depois virar o jogo mentalmente e colocar que o problema é dela. Lembre-se: os tempos de excitação são diferentes e na verdade ela está pedindo um pouco mais de “brincadeiras” para aquecer o motor.


4 – Use o GPS sexual
Para casais novos ou primeiras transas existe uma dica fundamental para os caras: prestar atenção se o que você está fazendo está agradando ou não. E como fazer isso? Ela pode te indicar ou você pode perguntar (isso dá mais liberdade a ela para se abrir depois) ou ainda você pode contar sempre com o “gemidômetro” (se ela gemer mais está bom, se ela não gemer está ruim). Lembrando que existem duas pessoas na cama, ela também tem que dar o mapa da mina. Se a menina não fala nada, não geme e não reage, das duas uma, ou você finge que está transando com uma boneca inflável ou é melhor pedir indicações do que fazer.


5 – Se precisar, vá de gel lubrificante
Muitas mulheres gostam de ser masturbadas nas preliminares e não há problema nenhum de usar o recurso do gel lubrificante no começo, enquanto ela não conseguiu chegar à lubrificação natural. Aliás, cada mocinha gosta de ser masturbada (ou se masturbar) de um jeito. Tem aquelas que preferem que o clitóris seja estimulado da esquerda para a direita com toques leves, enquanto outras preferem de cima para baixo, ou em círculos ou até mesmo que não se toque no clitóris e sim na região acima ou abaixo. A única maneira de saber qual é o certo para a sua garota é se atentar ao ítem anterior, ou seja, preste atenção ou questione. Só uma dica: a maioria das moças não gostam de pegadas muito forte nessa brincadeira e sim toques leves, portanto não esmague o local.


6 – Mulher não precisa de muito para esfriar
Do mesmo jeito que as donzelas podem levar um tempo para chegar no ponto certo da transa, elas podem voltar à estaca zero por qualquer motivo. E quando afirmamos que é estaca zero, acredite no que dizemos. A coisa esfria numa velocidade incrível se ela começar a pensar em qualquer outra coisa que não seja sexo. E a coisa campeã para levar a esse estágio glacial no meio do coito é o homem perguntar se ela já chegou lá. A primeira coisa que a menina vai pensar é “será que estou demorando muito?” e pronto, de volta à prancheta de desenho. Saber se está bom ou se você está fazendo corretamente traz segurança à menina e mantém o foco na transa. Questionar se ela está conseguindo se excitar, não.


Sexo oral, um capítulo à parte
Para muitos marmanjos, fazer sexo oral na mulher é só um ato para preliminares e estão redondamente enganados. Como todo homem adora coisas lógicas então aqui vai uma explicação irrefutável: a maioria das meninas chega ao orgasmo através da manipulação do clitóris, então o sexo oral é uma excelente maneira de fazer a menina alcançar o clímax e não só um instrumento para deixá-la excitada ou lubrificada.

O grande problema é que ansiosos, Os machos, queimam etapas e obviamente cansam porque a menina leva um tempo para conseguir gozar. E passar a sensação de que ela está demorando demais, vai com certeza esfriá-la, por isso, você pode iniciar uma sessão de oral, parar um pouco e focar em outra parte do corpo e recomeçar até a moça conseguir ter um orgasmo.
A regra para um bom sexo oral é a mesma da masturbação, ou seja, movimentos sejam circulares, de cima a baixo, da esquerda para a direita, aplicados levemente (atente para essa palavra) no clitóris. Grande parte das mulheres que ela atende não gostam de ter seu clitóris chupado (e homens adoram fazer isso), portanto saiba antes se ela tem essa preferência. Colocar o dedo dentro da vagina da menina enquanto pratica o sexo oral é uma maneira de aumentar a excitação também.
Outro ponto é que as moças se acanham com medo de algum odor que possa ter em suas vaginas.  Muitos homens não ligam para isso, mas nada impede de que você, com jeitinho, convide-a para um banho a dois antes (outra grande forma de preliminar). Isso vai dar segurança a ela e a você.
E por fim, cuidado com barbas por fazer. Como já dissemos antes, qualquer distração acaba com o momento da menina, então muitas vezes o roçar da barba nas coxas femininas pode causar irritação e estragar o momento.



Nada impede que uma moça esteja excitada logo no início da transa (algumas vezes até antes), mas não se esqueça que sexo envolve fantasias, intimidade e carinho e uma boa preliminar (com sua devida sessão de sexo oral).  Rapidinhas são ótimas, mas recomendo que todo casal tenha, pelo menos, uma transa “com qualidade” uma vez por semana. Com isso, a vida sexual vai muito bem, obrigado.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Ser a outra?!




11 entre 10 homens NÃO largariam suas esposas para ficar com “ a outra”.

Pra que largar o “certo pelo duvidoso”? Pra que abandonar um casamento cômodo, mesmo que for só de aparências? Pra que deixar uma se ele pode ter duas? Come em casa e come fora, um banquete praticamente.
Esqueça essa promessa fake, ele não vai pedir divórcio nenhum, vai continuar com esse papinho de que vai falar com a esposa e o tempo vai passando e você vai acabar é embolorando de tanto esperar (e depois que você virar um “pão velho e embolorado”, vai chorar por ter desperdiçado a tua juventude).

Amante tem que se submeter a um monte de coisas, viver como amante tem mais desvantagens do que vantagens, o preço que se paga pra ter um amor assim é tipo Mastercard (não tem preço).
Você não pode contar com o bofe sempre, só quando ELE puder. Comemorar datas especiais ao lado dele? Faça-me rir! Isso é quase uma lenda, um mito, é mais fácil você dar de cara com um unicórnio.

Do lado da esposa existem as preocupações e obrigações, do lado da amante as conversas interessantes e o prazer sexual. O “raparigo” se sente um verdadeiro “sultão” numa roda gigante de emoções e excitações (sim, o que é perigoso excita e muito).

Tem amante que se submete a um papel humilhante, pois deixa de viver a sua vida, fica iludida, sempre a espera do seu “sapo encantado”, abre mão de sair com os amigos, de se divertir, até mesmo de “ficar” com outros homens. Ora, ora, se ele tem uma fixa, porque você não pode ter outro (os) também? Vai ficar esperando ele te assumir “como algo” além de amante?
Então senta, amiga... senta porque você vai esperar pra sempre!
Você tem que ter consciência que será sempre segundo (ou último) plano na vida dele.

Finais de semana juntos?
Isto não existe, afinal, ele tem que fazer o papel do homem perfeito perante a família, ou seja, de final de semana você é literalmente “de ninguém”.

Telefonar para ele a qualquer hora pra contar uma notícia maravilhosa ou uma tragédia?

Nem pensar, Darling! O telefone dele não existe pra você.

Viagem romântica?
Só se for com a esposa. Se quiser curtir junto, peça para ele te mandar as fotos do lugar maravilhoso que ele esteve por e-mail.

Apresentar-te para algum amigo?
Você bebeu?
Ele JAMAIS irá te apresentar a um conhecido. Se alguém te ver junto dele e ele não tiver como se esconder, vai dizer que você é uma colega de trabalho ou até mesmo dar a desculpa de que não te conhece, que estava apenas pedindo uma informação. Imagino se alguém vir vocês entrando em um motel, aí ele pode dizer que você pediu uma caroninha, aff. E se forem vistos num restaurante, ele diz que quando chegou não tinha mesa desocupada e por isto ele sentou com você. Que situação!

Dar presentes a ele?

Não ouse. Como ele vai explicar para a “matriz” que ganhou aquele presente?

Ah, e se você tentar destruir o casamento dele, todo aquele amor que ele dizia sentir por você se transformará em raiva e sabe o que você ganha? Um belo pé na bunda com direito a sapato com bico fino!
Nunca, nunca mesmo pense nesta hipótese, pois ele continuará casadinho e você passará pela vadia sem noção.


Não estou generalizando, conheço poucas mulheres que são amantes e são felizes. São mulheres preparadas e decididas a viver uma solidão contente. Essas não se importam em ser a outra, aliás, elas preferem ser a outra.
Existem “casais” que vivem assim e parecem almas gêmeas, se completam, mas são raros.

Se você consegue ser feliz dividindo o bofe, bora seguir em frente com esse romance. Mas pense muito bem, faça uma boa análise sobre o que você quer para a sua vida amorosa, pois vida de amante não é fácil e de um jeito ou de outro, mesmo que seja no começo, a mulher sofre sim! Tenha os pés no chão e saiba com toda a certeza que você nunca terá exclusividade neste amor. Se quer ser exclusiva, pula fora logo deste barco e procure um homem pra chamar de seu!

Eu não vejo problema em a mulher aceitar (ou escolher) ser a outra, o problema é montar castelos, viver no mundo de Bobby, esperar por “coisas” que nunca terá, se iludir e acabar sofrendo.

Se acomodar com algo que te faz mal, que te dá mais sofrimento do que prazer e felicidade é total burrice.



Agora se te faz bem, que mal tem?

sábado, 18 de junho de 2011

Homens que tem medo de amar!

O grande medo do homem moderno é o de amar, que é tão grande quanto o medo de ser amado.
Cada um de nós sabe que amar alguém pode causar a sensação de fragilidade e dependência; a presença do outro torna-se vital, e a possibilidade de ser abandonado, a qualquer momento, fica tão ameaçadora que, em geral, as pessoas optam pela saída mais fácil, que é a de sabotar a possibilidade de viver um grande amor.
Isso cria um enorme dilema para o ser humano: querer viver um grande amor e procurar, o tempo todo, destruí-lo. Certamente, as tentativas de destruição não são feitas de modo deliberado, mas realmente o que conta é o resultado final.



O que dá mais medo?
O comodismo, a desistência ou a briga?
Amores convencionais e suas perguntas eternas.
O que os homens temem? Amar demais, amar de menos, ou serem sufocados pelo Amor?
Histórias de homens. Situações aparentemente comuns que tratam de perda e reconstrução.
Por um lado, mulheres que já não se deixam dominar, traçam sozinhas o seu caminho e batalham, orgulhosas, pelo seu lugar ao sol e pelo homem que amam.
Por outro lado, homens que temem o Amor, vivem de aparências, alimentam ressentimentos e mágoas e nunca esquecem o passado.
Os desencontros, os descompassos, as loucuras e os prazeres na hora de se entregar totalmente a uma mulher.
É descobrir que, mesmo diante de desejos fugazes ou amores avassaladores, sentirao sempre aquela pitada de medo – um medo que pode fazer toda a diferença.
Corrói a alma aos poucos, ou aprisiona-nos definitivamente na grande aventura que é amar...
Relações humanas: a coisa mais complexa que pode existir... Eu também tenho muito medo delas, ainda que seja amizade...
O medo de relações não pode impedir que elas saiam da tua Vida: elas estarão sempre lá até à tua morte e, sim, um dia elas serão boas e farão bem... Sem medos, inseguranças ou coisas assim: apenas serão...

Acredito que, quando vale a pena e quando acreditamos no objetivo e na pesso Não é
a que está no nosso lado, tudo é possível!!!...
Sim, podemos não ser compatíveis em “n” coisas, mas não é isso que nos atrai?
isso que nos une a outra pessoa? Não é poder dividir com outra pessoa a felicidade que temos dentro de nós, assim como a tristeza que pode ser apagada com um sorriso aberto da nossa cara metade?
Mau é quando as pessoas não estão dispostas a fazer algo pela felicidade de ambos...
Aqui fica a questão: “Amam-se a vocês próprios e amam quem vos ama?“.

Amor é mesmo um risco, certo?!
O nosso medo de amar é isso mesmo: o medo do risco. Risco de perder, risco de ter que ficar, risco de ter que abrir mão de a, b ou c para permanecer.

O maior erro que cometemos é buscar sermos amados, em vez de amar.
O que nos torna cobardes é o medo de perder esse Amor.
 
 
Meninos, amar pode dar certo!